sexta-feira, 26 de agosto de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA. II



- As cobras hipnotizam suas presas e podem ser encantadas pela música.

Nenhum zoólogo aceita ou corrobora essa afirmativa, embora alguns animais possam
permanecer paralizados quando se confrontam com uma serpente. É totalmente fantasiosa
a acertiva de que esses répteis possuem poderes hipnóticos. A origem dessa crença pode
ser atribuida a alguns rituais de acasalamento em que as cobras oscilam o corpo ritmicamente.
Por outro lado, o "encantamento" das serpentes é sim uma forma de hipnotismo a que a
cobra está sujeita. É que elas têm uma audição muito limitada, apenas detetando sons de
baixa frequência, pelo que não é provável que reajam à música da flauta do "encantador".
As cobras-capelo, usadas pelos hindus, reagem ao rítmo das batidas dos pés, ao toque das
varinhas usadas por eles na cesta ou a oscilação do corpo ou da flauta. Na Birmania, os
encantadores de serpente oscilam ritimicamente para fascinarem as cobras, que se agitam em
movimentos idênticos, na busca de um ponto indefeso que lhes permita um ataque com sucesso.
Em outras partes do mundo, os encantadores "falam" com suas cobras, que captam as vibrações
atraves do solo. Mas, acima de tudo, elas oscilam por necessidade física, para manterem a
parte superior do corpo acima do solo. Assim, quando param de oscilar, deslizam forçosamente
para dentro do cesto.

Bom final de semana, abraço para meus amigos e visitantes.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA. I



Bater na água afugenta os tubarões.
Em ambas as superficies laterais do seu corpo, desde a cabeça até a cauda, os tubarões possuem
um sistema sensorial, que lhes permite detetar vibrações na água mesmo se produzidas a grandes
distâncias. Para eles, qualquer vibração irregular pode significar a presença de uma vítima em
potencial que esteja ferida ou em qualquer outro tipo de dificuldade. O naturalista Jacques-Yves
Couteau, frances especialista em questões submarinas, afirmava que bater na água pode, ao
contrário do que se pensa, atrair os tubarões. aconselhando os mergulhadores e/ou banhistas a,
na presença deles, mover-se com calma e vagarosamente, evitando ao máximo a mudança brusca
de movimentos. Tambem, a uma distância de 400 ou 500m, os tubarões podem detetar, pelo
cheiro, a presença de sangue na água. É que, grande parte do cérebro do esqualo, está adatada
a esse objetivo. Devido a dois órgãos localizados nas laterais do focinho, extremamente sensíveis,
os tubarões podem seguir um rastro e corrigir o seu curso, segundo a intensidade do cheiro,
agindo como um radiogoniômetro e atingindo infalivelmente o alvo.

Bom final de semana a todos, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

PALAVRAS NUNCA DITAS.




Depois de exaustiva pesquisa na obra de Sir Arthur Conan Doyle, não consegui encontrar a 
frase comumente atribuida ao detetive Sherlock Holmes "Elementar, meu caro Watson".
O detetive até usa uma expressão semelhante  na história "The Crooked Man" (o Homem
Desonesto), publicada pela promeira vez em 1893 no Strand Nagazine e mais tarde incluida
nas  "Memórias de Sherlock Holmes" editadas em 1894. Nessa história, o Dr. Watson,
asistente de Holmes, casou e não mora mais na casa do detetive, na  Baker Street número
221-B, em Londres. Ao visitar Watson, para pedir que o ajude na solução de um mistério,
Holmes faz algumas deduções a respeito de seu velho amigo. Observa, por exemplo, que
Watson continua a usar o mesmo tipo de tabaco no valho cachimbo, a partir da cinza que ve
na lapela de seu casaco alem de constatar que ele  anda muito ocupado. Ao ser indagado pelo
amigo como descobriu tais fatos, Holmes responde saber que ele vai de charrete quando tem
pressa e se desloca a pé sempre que dispõe de tempo; ora, a poeira acumulada nas botas de
Watson, que seria a prova de que ele saira de casa, seria em maior quantidade se tivesse
caminhado; por consequencia - conclui Sherlock HolmesWatson deve ter saido de cabriolé,
sinal de que anda muito ocupado. Nessa ocasião  observa Watson: "Excelente!".  Ao que
replica Holmes: "Elementar."
É daí que deve ter nascido a expressão comumente atribuida ao personagem.

Um ótimo final de semana a todos, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe   

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. Final



- Depois de abertas, os alimentos enlatados tornam-se venenosos.

Se não se encontrarem em perfeitas condições de esterilização, qualquer que seja o tipo de
recipiente que contenha os alimentos pode contaminá-los por germes e causar grandes prejuizos
à saúde. Os alimentos contidos em latas abertas não são mais susceptiveis à contaminação do
que os frescos. Nada existe nas latas que possa causar envenenamento dos alimentos. Pode
haver, no máximo, a oxidação da lata. Nas latas amassadas, porem, pode haver contaminação
através de microscópicos orifícios acaso formados com a deformação.

- As traças comem nossas roupas.

Há seis espécies de traças responsáveis pelos estragos nas roupas, colchões, almofadas, etc.
Não são elas porem, que comem, mas sim suas larvas nascidas de uma quantidade assustadora
de ovos que as adultas produzem. É impossivel calcular a quantidade média de tecido que uma
larva consome, pois depende do tempo em que o animal se mantem sob essa forma, o que varia
de acordo com fatores do tipo temperatura e disponibilidade de alimentos.

Um ótimo final de semana a todos.
Grande abraço de

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe