sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

- LÚCIO FLÁVIO PINTO - a carta - introdução.



                     LÚCIO FLÁVIO PINTO

                                             
    Uma das publicações do Jornalista LÚCIO FLÁVIO PINTO.
                                                                        -      título -




Há muito tenho acompanhado a carreira do Jornalista LÚCIO FLÁVIO, embora jamais o tenha sequer visto. Suas produções, porém, sempre repercutiram favoravelmente em minha maneira de
ver a vida. Admiro o ser humano  que abre mão de toda e qualquer benesse ou vantagem que possa interferir, mesmo que de longe, no cerne de sua personalidade, aviltando seus princípios morais, desenvolvidos ao longo de uma existência que, se não perfeita - afinal trata-se de um homem, com toda a carga de erros inerentes à própria natureza - sempre procurou estar do lado da melhor versão dos acontecimentos que se apresentaram ao seu testemunho. Tanto isto é verdade, que ele nunca conseguiu - embora com um talento inato e evidente - ser acolhido pelos grandes periódicos nacionais. A recusa em se dobrar aos conchavos sórdidos, obrigou-o a recorrer à produções próprias modestas mas eloquentes em seu conteúdo, sempre em busca da verdade. Tal postura me fez temer, em diversas ocasiões, pela sua própria integridade física! Certamente atraiu para si, mercê de sua postura, o ódio de muitos malandros e marginais, principalmente no campo da Política. O inimigo mais contundente e lamentavelmente rasteiro, foi o Senhor Hélio Mota Gueiros que, apesar de ser Advogado, Jornalista, Deputado Estadual, Deputado Federal, Senador da República, Prefeito de Belém, Governador do Estado do Pará e membro da Academia Paraense de Letras, foi capaz de produzir uma das mais sórdidas e rasteiras cartas, por ele mesmo tornada pública, atacando de modo torpe e indigno, o grande e bravo Jornalista LÚCIO FLÁVIO.
A partir da próxima sexta-feira, você que me dá a honra da companhia neste espaço, tomará conhecimento dos inacreditáveis termos em que a carta foi escrita e dos argumentos invocados para tentar justificar tamanha ignomínia...
Após a publicação da carta, você tomará conhecimento da resposta proferida pelo LÚCIO FLÁVIO,
já que, com a intercessão  da minha querida prima FÁTIMA ARAGÃO, fui autorizado pelo Jornalista a publicar, neste Blog, ambas as missivas.

Até sexta.

Excelente fim de semana e meu abraço fraterno.

Clóvis de Guarajuba.

Nenhum comentário: