sexta-feira, 11 de março de 2016

- JACK, O ESTRIPADOR - (continuação 3)


Na noite de 30 de setembro de 1888, o Estripador esfaqueou mais duas mulheres e
deixou o que provavelmente constituiu a única pista da sua sinistra carreira.
Nos fundos da casa de número 40 da Berner Stree, foi encontrada Long Liz, de cuja
garganta ainda jorrava o sangue. O corpo de Kate Eddowes - o mais terrivelmente
mutilado de todos - jazia a poucos minutos daquele local, em Mitre Square. Um
rastro de sangue estendia-se desde seu corpo retalhado até uma porta onde se
via rabiscado com giz:
.
" Os judeus não são culpados de nada! ".
.
Seria o Estripador um judeu que se vingava de um mundo que o perseguia?
A mensagem, fosse qual fosse seu significado, poderia ter sido vital para elucidar
os crimes. Nunca, porém, foi devidamente estudada, pois misteriosa e
inexplicavelmente, o chefe de polícia, Sir Charles Warren, ordenou que fosse
apagada. O duplo assassinato aterrorizou Londres, corriam boatos: o estripador
era um médico louco; um criminoso polaco; um agente saecreto da Russia czarista
tentando desacreditar a polícia londrina; um puritano obcecado por eliminar
a depravação da cidade; uma parteira louca, com um ódio sanguinário à prostituição.
Ninguem sabia. O verdadeiro estripador continuava em liberdade e no dia 9 de
novembro voltou a atacar.
.
.
(continua na próxima postagem)
.
Bom final de semana, grande abraço.
.
Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

Nenhum comentário: