sexta-feira, 6 de setembro de 2013

LENDAS: I - LOBISOMEM.





Nas lendas de quase todos os países do mundo podemos encontrar  o mito dos 
seres meio humanos e meio animais. Alguns povos primitivos da África creem na 
existência de homens que se transformam em homens-leopardos; na Ásia, o 
homem-tigre é temido pelos supersticiosos e os escandinavos acreditavam na 
existência de homens que, para caçar, assumiam a forma de ursos. Porém, a mais 
famosa e difundida lenda do tipo (atualmente tema de um personagem de novela 
da Globo), é, sem sombra de dúvida, o LOBISOMEM. Sua origem remonta, 
provavelmente, aos mitos de deuses noruegueses que, segundo se dizia, 
assumiam a forma de animais, tais como o urso e o lobo.No século XVI, durante 
a época das perseguições às bruxas, admitia-se que elas poderiam se transformar 
em lobos. Na sua forma humana, não é possível distinguir a figura de um lobisomem 
da de um vampiro. Os dois entes partilham diversas características, tais como 
sobre-olhos unidos, orelhas pequenas e muitas vezes pontiagudas, mãos peludas 
e unhas em forma de garras. A única diferença entre um lobisomem e um vampiro, 
somente poderá ser notada por alguém que tenha coragem bastante para apertar 
sua mão e verificar um pequeno mas significativo detalhe: seu dedo anelar das 
mãos é maior que o dedo médio ou pelo menos do mesmo tamanho. 






Realizada a transformação, o homem 
se torna um lobo gigantesco, que se 
desloca, quer como bípede quer como 
quadrupede, que conserva traços 
humanos, embora incrivelmente peludo 
e de aspecto repulsivo. Com tais 
características, rasga a garganta das 
vítimas incautas, come sua carne e 
bebe seu sangue.






Na Itália do século XVI, acreditava-se que os lobisomens tivessem pelos na 
parte interna do corpo, situação que não mudava quando readquiria a forma 
humana. Tal crença levou as autoridades, no ano de 1541, a condenar um suspeito, 
que teve seu ventre aberto para se verificar se seu interior possuía os tais pelos. 
Claro que o pobre coitado morreu sem que tenham descoberto nenhum vestígio 
dos pelos...São muitos os processos através dos quais um homem pode 
se transformar em lobisomem. Um religioso medieval chamado Gervase of 
Tilbury, considerava infalível para a transformação, rolar sobre a areia nu, em 
noite de lua cheia. Conta-se que São Patrício amaldiçoou um clã inteiro, na 
Irlanda, o que determinou a transformação de membros desse clã, de 7 em 7 
anos, em lobisomem. Em alguns lugares da Europa, acredita-se que a 
transformação se dá quando um homem bebe água em um córrego, onde um 
lobo tivesse bebido. Por outro lado, há variados métodos para acabar com a 
maldição.  No Canadá se aconselha um exorcismo em que se invoque o nome de 
Cristo ou se chame o lobisomem, 3 vezes, pelo seu nome de batismo. Na 
França, o método consistia em extrair-lhe 3 gotas de sangue durante sua fase de 
lobo. Porém, o método mais divulgado para livrar um ser humano da maldição, 
era o de alvejá-lo, direto no coração, com uma bala de prata, de preferência benta, 
obtida, por exemplo, do metal nobre originário de um crucifixo de uma igreja. 
E assim, a humanidade continua pelo tempo em fora, a criar subterfúgios que 
tornem suas vidas mais divertidas e mais palatável...

Um ótimo final de semana a todos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

Nenhum comentário: