sexta-feira, 23 de setembro de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA - final.



Os cisnes cantam antes de morrer.

Deve-se a poetas e filósofos esta crença largamente difundida, atribuida a um animal
habitualmente desprovido de voz. Os antigos gregos consideravam os cisnes animais de
Apolo, o deus da música. Segundo Sócrates, no Fedon, de Platão, os cisnes cantam
"não por tristeza ou aflição, mas porque são inspirados por Apolo". Shakespeare refere-se
ao "canto do cisne" nas suas peças e poemas; a imagem é tambem usada por Lord Byron
em Don Juan e por outros autores. Na realidade o cisne apenas emite um assobio nada
musical quando irritado ou quando lhes aneaçam as crias, usualmente para preparar-se
para o ataque.


O porco-espinho pode disparar os seus espinhos.
Os espinhos do ouriço-cacheiro e do porco-espinho, são uma excelente arma de
dissuasão para os eventuais predadores. Quando ouriçados, emprestam uma aparência
bem desagradável e ameaçadora mas não podem ser "atirados", pois não possuem nenhum
músculo que lhes propicie qualquer impulso. Os espinhos são facilmente retirados quando
tocados por qualquer predador, pois possuem farpas como a dos anzóis.

Bom final de semana a todos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA - V.



As avestruzes enterram a cabeça na areia.

A crença é que, para se ocultarem de seus predadores, elas enterram a cabeça na areia. Na África
do Sul, onde foram criadas  mais ou menos 200 000 avestruzes para  comercialização de suas
penas, o cidadão de nome Allan Pocock, verificou que, durante os 80 anos em que se mantiveram
registros sobre estes animais, jamais foi referido um único caso de uma avestruz enterrar a cabeça
na areia ou, sequer aparentemente, tentar faze-lo. Só em duas ocasiões elas aproximam a cabeça
do solo: para escutar sons distantes ou para descansar os músculos do pescoço. Elas introduzem
as cabeças em moitas, a fim de prescrutarem o seu interior - mas nunca as enterram na areia.
Se o fizessem, certamente morreriam asfixiadas.


O queijo é o alimento preferido dos ratos.

Experiências efetuadas revelam que o queijo não é a melhor isca para a captura de um rato.
Um americano chamado Edward Batzner, dedicado ao extermínio destes roedores, afirma que
doces com sabor limão, são bem mais eficazes do que o queijo. Igualmente incorretas, são as
suposições sobre as preferências alimentares de outros animais: os cães prefeririam carnes e os
gatos peixes. A preferência de um animal por um determinado alimento, deve-se ao seu
recebimento habitual. Assim, alguns gatos preferem o leite à água e alguns cães comem apenas
carne crua, de preferência a restos cozidos.

Um ótimo final de semana.
Abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA IV.



Os trovões azedam o leite...
O que azeda o leite durante as trovoadas é a formação de bacterias que transformam em
ácido lático o açúcar do leite. É que estas bactérias, desenvolvem-se melhor em tempo
úmido que, frequentemente, acompanha as tempestades de verão. Por esta razão é menos
provável que o leite azede durante as tempestades que se verificam no inverno. O trovão
é apenas uma vibração do ar que de modo algum pode afetar o leite.

Os ratos abandonam o navio prestes a afundar...
O que ocorre, provavelmente, é que os ratos, por habitualmente viverem nos porões dos
navios, são os primeiros a detectar a inundação quando o mesmo esta "fazendo água".
Ao correrem abandonando os porões para se salvar os marinheiros  suspeitam das condições
de navegabilidade do navio. É tambem possível que os ratos tenham maior sensibilidade do
que os homens para detetar sismos e sons de menor intensidade. Houve tempo em que se
chegou a pensar que os ratos poderiam ser úteis na deteção de acidentes iminentes em minas
de carvão.

Bom final de semana, grande abraço para todos.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande e Limpe

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA III.


O "vôo" dos peixes...
- Há mais ou menos, cem espécies dos chamados "voadores". Nenhum deles, realmente voa.
Eles possuem  grandes barbatanas paitorais, semelhantes a asas e, na verdade, podem apenas
deslizar pouco acima da superfície do oceano, percorrendo distâncias de até 200m a cerca de
16k/h. Acidentalmente, podem até cair no conves de barcos pequenos, quando, ao fugirem de
ataques de predadores - geralmente golfinhos - empreendem esta escapada usando as grandes
barbatanos para planar.



Os polvos são muito perigosos...
- A ideia de que os polvos podem matar os mergulhadores apertando-os com seus tetáculos,
é fruto da ficção. Ocasionalmente, alguns nadadores podem ser apanhados pelas ventosas
dos tentáculos dos polvos mas jamais foram seriamente molestados. Há polvos na costa do
Alaska, em grandes profundidades, que podem medir até 9,5m de uma extremidade à outra
de seus tentáculos mas, a grande maioria das espécies é muito menor. Nas regiões costeiras
do Sri Lanka há uma espécie que mede apenas 5cm em sua fase adulta. Na maioria das vezes
que, com sua boca em forma de bico, capaz de injetar veneno, o polvo tem mordido nadadores,
o resultado tem sido apenas um leve e temporário inchaço.

Um ótimo final de semana para todos os amigos e visitantes.
Obrigado pelas visitas.

Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA. II



- As cobras hipnotizam suas presas e podem ser encantadas pela música.

Nenhum zoólogo aceita ou corrobora essa afirmativa, embora alguns animais possam
permanecer paralizados quando se confrontam com uma serpente. É totalmente fantasiosa
a acertiva de que esses répteis possuem poderes hipnóticos. A origem dessa crença pode
ser atribuida a alguns rituais de acasalamento em que as cobras oscilam o corpo ritmicamente.
Por outro lado, o "encantamento" das serpentes é sim uma forma de hipnotismo a que a
cobra está sujeita. É que elas têm uma audição muito limitada, apenas detetando sons de
baixa frequência, pelo que não é provável que reajam à música da flauta do "encantador".
As cobras-capelo, usadas pelos hindus, reagem ao rítmo das batidas dos pés, ao toque das
varinhas usadas por eles na cesta ou a oscilação do corpo ou da flauta. Na Birmania, os
encantadores de serpente oscilam ritimicamente para fascinarem as cobras, que se agitam em
movimentos idênticos, na busca de um ponto indefeso que lhes permita um ataque com sucesso.
Em outras partes do mundo, os encantadores "falam" com suas cobras, que captam as vibrações
atraves do solo. Mas, acima de tudo, elas oscilam por necessidade física, para manterem a
parte superior do corpo acima do solo. Assim, quando param de oscilar, deslizam forçosamente
para dentro do cesto.

Bom final de semana, abraço para meus amigos e visitantes.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

MITOS SOBRE A NATUREZA. I



Bater na água afugenta os tubarões.
Em ambas as superficies laterais do seu corpo, desde a cabeça até a cauda, os tubarões possuem
um sistema sensorial, que lhes permite detetar vibrações na água mesmo se produzidas a grandes
distâncias. Para eles, qualquer vibração irregular pode significar a presença de uma vítima em
potencial que esteja ferida ou em qualquer outro tipo de dificuldade. O naturalista Jacques-Yves
Couteau, frances especialista em questões submarinas, afirmava que bater na água pode, ao
contrário do que se pensa, atrair os tubarões. aconselhando os mergulhadores e/ou banhistas a,
na presença deles, mover-se com calma e vagarosamente, evitando ao máximo a mudança brusca
de movimentos. Tambem, a uma distância de 400 ou 500m, os tubarões podem detetar, pelo
cheiro, a presença de sangue na água. É que, grande parte do cérebro do esqualo, está adatada
a esse objetivo. Devido a dois órgãos localizados nas laterais do focinho, extremamente sensíveis,
os tubarões podem seguir um rastro e corrigir o seu curso, segundo a intensidade do cheiro,
agindo como um radiogoniômetro e atingindo infalivelmente o alvo.

Bom final de semana a todos, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

PALAVRAS NUNCA DITAS.




Depois de exaustiva pesquisa na obra de Sir Arthur Conan Doyle, não consegui encontrar a 
frase comumente atribuida ao detetive Sherlock Holmes "Elementar, meu caro Watson".
O detetive até usa uma expressão semelhante  na história "The Crooked Man" (o Homem
Desonesto), publicada pela promeira vez em 1893 no Strand Nagazine e mais tarde incluida
nas  "Memórias de Sherlock Holmes" editadas em 1894. Nessa história, o Dr. Watson,
asistente de Holmes, casou e não mora mais na casa do detetive, na  Baker Street número
221-B, em Londres. Ao visitar Watson, para pedir que o ajude na solução de um mistério,
Holmes faz algumas deduções a respeito de seu velho amigo. Observa, por exemplo, que
Watson continua a usar o mesmo tipo de tabaco no valho cachimbo, a partir da cinza que ve
na lapela de seu casaco alem de constatar que ele  anda muito ocupado. Ao ser indagado pelo
amigo como descobriu tais fatos, Holmes responde saber que ele vai de charrete quando tem
pressa e se desloca a pé sempre que dispõe de tempo; ora, a poeira acumulada nas botas de
Watson, que seria a prova de que ele saira de casa, seria em maior quantidade se tivesse
caminhado; por consequencia - conclui Sherlock HolmesWatson deve ter saido de cabriolé,
sinal de que anda muito ocupado. Nessa ocasião  observa Watson: "Excelente!".  Ao que
replica Holmes: "Elementar."
É daí que deve ter nascido a expressão comumente atribuida ao personagem.

Um ótimo final de semana a todos, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe   

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. Final



- Depois de abertas, os alimentos enlatados tornam-se venenosos.

Se não se encontrarem em perfeitas condições de esterilização, qualquer que seja o tipo de
recipiente que contenha os alimentos pode contaminá-los por germes e causar grandes prejuizos
à saúde. Os alimentos contidos em latas abertas não são mais susceptiveis à contaminação do
que os frescos. Nada existe nas latas que possa causar envenenamento dos alimentos. Pode
haver, no máximo, a oxidação da lata. Nas latas amassadas, porem, pode haver contaminação
através de microscópicos orifícios acaso formados com a deformação.

- As traças comem nossas roupas.

Há seis espécies de traças responsáveis pelos estragos nas roupas, colchões, almofadas, etc.
Não são elas porem, que comem, mas sim suas larvas nascidas de uma quantidade assustadora
de ovos que as adultas produzem. É impossivel calcular a quantidade média de tecido que uma
larva consome, pois depende do tempo em que o animal se mantem sob essa forma, o que varia
de acordo com fatores do tipo temperatura e disponibilidade de alimentos.

Um ótimo final de semana a todos.
Grande abraço de

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 29 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. IV



É fácil distinguir cogumelos venenosos dos comestiveis.

Não há nenhum processo que distinga as duas espécies. Não existe nenhum detalhe específico
de uma que não se encontre tambem na outra. É falsa, por exemplo, a ideia de que somente são
comestiveis os cogumelos brancos ou que apresentarem um anel na base do caule. O fungo
Amanita virosa possui ambas as características, mas não é comestível. Nenhum cogumelo que
tenha adquirido a cor azulada é, necessariamente, venenoso. A espécie comestivel Boletus edulis,
quando amassada, pode ficar castanho-escuro, azul-clara ou escura, vermelha, púrpura, verde,
violeta ou até mesmo negra e continuar a ser comestível. A alteração de cor, significa tão somente
a existencia de um processo de fermentação. O cheiro, tão pouco, é uma forma de distinguir entre
as duas espécies. Alguns cogumelos mortalmente venenosos, tais como o Amanita phalloides,
exalam um odor muito agradável. Outros com péssimo cheiro, podem ser consumidos sem
nenhum problema, com toda a segurança. A melhor forma de identificar cogumelos comestiveis
é utilizar um livro de botânica ilustrado. A regra principal, porem, é: em caso de dúvida, não coma!

Contunua na próxima postagem......... 

Um  excelente final de semana a todos, voltem sempre e obrigado pela visita.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 22 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS III

.

- Comer peixe faz bem para o cérebro.

Nenhum alimento em particular contribui para o bom funcionamento do cérebro ou de qualquer
outro órgão. Dos materiais absorvidos pelo sistema circulatório durante a digestão, os diversos
tecidos aproveitam apenas as substâncias de que necessitam. Uma alimentação equilibrada 
satisfará todas as necessidades das células, embora a falta de alguns alimentos possa
eventualmente provocar deficiências de  várias ordens. A crença de que o peixe, em especial,
é aconselhável para assegurar o bom funcionamento do cérebro foi divulgada no século XIX
pelo filósofo e físico alemão Friedrich Buchner ( 1824 - 1899 ), que, quando soube que o
cérebro continha fósforo, apressou-se a declarar que "sem fósforo não há pensamento.
"No mesmo embalo, o físico frances Jean Dumas ( 1800 - 1884 ), confirmou que o peixe
é rico em fósforo. O naturalista suiço Jean Louis Agassiz  ( 1807 - 1873 ), relacionou
ambas as ideias  e concluiu que o peixe fazia muito bem ao cérebro! A realidade porem é
outra: como há abundância de fósforo nos rochedos e nos diversos minerais da Terra, na sua
maioria os alimentos contêm quantidades variáveis desse elemento.

- Não se devem comer ostras senão nos meses com R.

É por pura coincidência que os nomes dos 4 primeiros e dos 4 últimos meses do ano (quando,
segundo se afirma,  se devem comer ostras), contêm a letra R. A crença originária da Europa,
considerava arriscado comer ostras, geralmente cruas, nos meses de verão, numa época em
que não havia frigoríficos. A composição química das ostras, varia de estação a estação,
especialmente durante o periodo de desova, nos meses de maio e junho, mas nunca chegam a
ser venenosas. Depois da desova, as ostras contêm menos glicogênio, mais água e
apresentam-se mais claras, mantendo entretanto o mesmo sabor.

Continua na próxima postagem....  

Bom final de semana, abraço a todos.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 15 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. II



- Pão escuro é melhor do que o branco.

Se levarmos em consideração apenas o valor nutritivo, não existe nenhuma diferença entre os
dois. Simplesmente, enquanto o pão branco é feito de farinha ã qual foram retirados o farelo
e a película externa dos grãos do cereal, o escuro ( chamado integral ), é feito do trigo íntegro.
Ambos possuem todos os nutrientes necessários aos adultos e às crianças, tais como: vitaminas,
sais minerais e os hidratos de carbono. Há, no entanto, quem considere benéfico para os
intestinos as substâncias encontradas no pão integral e que o pão branco não contem. Embora
os padrões variem de país para país, a farinha branca deve ser  enriquecida com elementos
nutritivos. Nos países escandinavos a quantidade do nutriente riboflavina é adicionado em
quantidade correspondente ao dobro das adicionadas nos EE.UU., por exemplo.

- Beber água do mar enlouquece.

Embora a água do mar possa conter produtos quimicos prejudiciais à saúde, nenhum deles pode
causar específicamente a loucura. Sem dilui-la, porem, antes de bebe-la, em uma quantidade
de água potável, pode causar o envenenamento dos rins e, ao fim de algum tempo, a morte,
devido à excessiva concentração de sal. Em casos de extrema necessidade, deve-se usá-la em
pequenas quantidades, como complemento da água potável, sem nenhum problema maior.


Continua na próxima postagem......

Bom final de semana a todos.
Abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 8 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. I



- Os ovos escuros são mais nutritivos.

Na Inglaterra os ovos escuros são considerados de melhor qualidade. Já nos EE.UU.
a crença é diametralmente oposta. Claro que os criadores de ambos os países, esforçam-se
para produzi-los de acordo com a preferência do fregues. Ambas as crenças, porem,
carecem de fundamento. Os ovos não são produzidos para fornecerem alimento ao homem
mas ao pinto que se desenvolverá em seu interior, a cor da casca, que representa um estágio
avançado do desenvolvimento do ovo, depende única e exclusivamente da raça da galinha;
na ocasião em que a casca se forma, o valor nutritivo do ovo já foi definitivamente estabelecido.

- Comer sementes causa apendicite.

Na estatística do conteúdo dos apêndices removidos, poucos casos da presença de semente
foram constatados. Muitos objetos de presença improvável, ja foram verificados, como por
exemplo, dentes de ouro, cerdas de escovas de dente, extremidade de termômetro, entre outros.


Continua na próxima postagem............

Bom final de semana a todos.
Grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 1 de julho de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. - Final



- Na Russia vivem os homens mais velhos do mundo.
 Segundo a ONU, os centenários vivos em todo o mundo, eram, no ano de 1972, 25.000. A
União Soviética, após a publicação desse resultado, apressou-se a declarar que, desse total,
21.000 homens eram nascidos no estado da Georgia. Não fosse esse número tão alto
(21.000 em 25.000), os dados fornecidos pelos russos poderiam ter sido aceitos sem um
exame mais acurado. O percentual tão elevado, no entanto, despertou a desconfiança de alguns
peritos em estatística. O estado da Georgia era a terra natal de Stalin e ficou famosa porque
dizia-se que havia 51 homens centenários para cada 100.000 habitantes. Em 1961, os
russos já haviam declarado que no estado do Azerbaijão o número de centenários era de 84
para cada grupo de 100.000. Segundo a mesma declaração, 592 pessoas haviam ultrapassado
a idade de 120 anos. Depois de minuciosa análise esses dados provaram ser totalmente falsos.
Constatou-se que, onde quer que esses pretensos centenários existam em quantidades
excepcionalmente grandes, verificam-se anomalias altamente suspeitas:

-Não existe um número proporcionalmente alto de octogenários e nonagenários, lacuna que não
conseguem explicar;
-Os exames médicos procedidos indicaram que, na verdade, os supostos centenários não atingiram
sequer 80 anos;
-Muitos desses anciãos não possuem certidão de nascimento, são analfabetos e ignoram a noção
de datas;
-Há quem sugerisse que alguns deles, menos ingênuos, acrescentaram alguns anos à sua idade,
para evitarem a incorporação ao exército do czar, na guerra de 1914 e vendo-se, desde então,
obrigados a manter a fraude.

Conclui-se, então, que nessa parte do mundo os homens não são tão velhos como pretendem...

Um ótimo final de semana a todos os leitpores amigos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande&Limpe

sexta-feira, 24 de junho de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. V



- Uma pessoa às portas da morte evoca, em sucessão, todos os momentos de sua vida.

Os romancistas e poetas são os responsáveis pela divulgação da crença de que a vida passada
acorre inteira ao pensamento, nos instantes que precedem a morte. Na verdade, ninguem ainda
voltou do além para confirmar essa crença largamente difundida. Há muitos casos de pessoas
salvas de uma morte iminente que refutam essa tese. Eu, inclusive.

- O ingles A.R.Bayley, salvo da morte por afogamento,  declarou e escreveu em 1916:
"Lembro-me que julguei ter chegado ao fim mas não me lembrei de nenhum acontecimento
da minha vida passada. "

- Um piloto abatido em 1918 declarou ao sair dos destroços de seu avião:
"Só pensei na minha namorada que está na Inglaterra! "

- Eu, ao me ver planando em um avião da empreiteira de que era sócio gerente (um Piper PA 90
- Twin Comanche ), depois de sofrer uma "pane seca", por absoluta irresponsabilidade do meu
piloto ( que, segundo soube, tendo cassada a licença para pilotar, por causa desse acidente, foi
voar clandestinamente nos garimpos do Pará e lá morreu e matou seus passageiros, ao tentar
decolar de uma pista curta com peso acima do especificado, não conseguindo e indo bater nas
árvores na cabeceira da pista), não pensei em absolutamnete nada da vida pregressa. É que o
instinto de conservação supera todas as outras lembranças e a pessoa só pensa em uma
possibilidade de sobreviver. Durante a queda, diante  do "silêncio ensurdecedor" vindo dos
motores parados, apenas me vi incentivando o piloto a manter a estabilidade do avião, para que
ele não "estolasse" e a procurar algum lugar para aterrisar da maneira menos traumática possível.
Isso se deu na estrada que liga Amargosa à BR 116, nas proximidades da cidade de Milagres,
no estado da Bahia. Esse foi um dos sete acidentes graves que já sofri e, em nenhum deles, me
lembro de ter relembrado algo do meu passado.

Continua na postagem seguinte......

A todos os amigos e visitantes desejo um ótimo final de semana e que aproveitem bastante
as folgas do feriadão.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 17 de junho de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. IV




- O arranhão de um prego enferrujado pode causar tétano.
O tétano é uma grave enfermidade infecciosa causada pela toxina produzida por uma
bactéria chamada Clostridium tetani. Não é verdade que um prego enferrujado causa
tétano uma vez que, nem o metal e nem a ferrugem são venenosos. Somente se verificará
o contágio, se, entre a sujeira encontrada no prego trouxer a presença de algum organismo
produtor dessa doença. Qualquer objeto pode trazer a bactéria. Por exemplo os instrumentos
de jardinagem podem conter a toxina trazida do solo.

- Um afogado vem 3 vezes à superfície.
Afirma-se que um homem  emerge 3 vezes antes de morrer afogado. Não, necessariamente,
se verifica esse fenômeno. Com o risco de se afogar, a pessoa é presa do pânico e, cada vez
que submerge, aspira água para os pulmões. Esse fenômeno tem uma variação muito grande
de repetições - e as vezes nem sequer ocorre - antes da pessoa morrer asfixiada.

Continua na próxima postagem............ 

Bom final de semana, abraço do amigo,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 10 de junho de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. III



Cabelos e unhas continuam a crescer após a morte.
Esse mito nasceu de uma declaração no mínimo exagerada de um cidadão ingles chamado
Charles Augustus Howell. Em 1869 ele foi testemunha da exumação do corpo da mulher
do pintor Dante Gabriel Rossetti, morta em 1862. Declarou que tinha ficado impressionado
com a luxuriante cabeleira da morta, que praticamente enchia o caixão, exibindo a cor
vermelho-dourada. Se essa descrição corresponde a verdade, seus cabelos já eram assim
quando ela morreu. De fato, o cabelo de um cadáver não cresce. O que se pode atribuir
ao falso "crescimento" é uma leve contração da pele que, ao desidratar, pode revelar 1 a
2 mm do pelo embutido na epiderme quando em vida. Nunca, entretanto, o suficiente para
encher um caixão. As unhas e os cabelos crescem a partir da raiz, pela multiplicação das
células que são alimentadas pela corrente sanguinea. Cessando a circulação com a ocorrência
da morte, o fornecimento de nutrientes é interrompido e as células perdem as condições e o
poder de se multiplicar.


Continua na próxima postagem......

Abraços e um ótimo final de semana.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 27 de maio de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. I



- Quando se cai de uma grande altura, morre-se antes de atingir o chão.

Para não morrer queimado quando seu avião Lancaster foi atingido por um projétil e tomado
pelas chamas durante uma missão de bombardeamento sobre a Alemanhaem 1944, o sargento
da RAF, Nicholas Alkemade, saltou de aproximadamente 5,5 km, sem paraquedas, imaginando
que assim a morte seria menos dolorosa e mais rápida. Chegou ao solo ileso e ainda consciente!
É que nos últimos metros do mergulho, a 190 k/h, sua queda foi amortecida pelas ramagens
novas de pinheiros, e por uma camada densa de vegetação, sendo, finalmente, protegido por uma
profunda camada de neve. Tal experiência derruba a crença de que, quando se cai de uma
grande altitude, se morre antes de atingir o solo. Pensava-se, piamente, que a asfixia provocada
pela velocidade da queda ou o ataque cardíaco provocado pelo pânico, mataria o individuo antes do
impacto final. A falsidade dessa crença tem sido demonstrada quase que diariamente por
paraquedistas de todo o mundo que, regularmente, descem em queda livre por vários
quilômetros antes de  abrirem seus paraquedas. No ano de 1960, nos Estados Unidos, o capitão
Joseph Kittinger saltou de um balão e percorreu nada menos que 25 km em queda livre antes
de abrir o paraquedas. Chegou ao solo incólume e consciente.

Continua na próxima postagem.......

Um ótimo final de semana a todos e que voltem sempre ao meu BLOG.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 20 de maio de 2011

RITUAIS FÚNEBRES - final -



A citação comumente usada, de que todos se igualam na morte, nem sempre teve sentido.
Na Escócia e no norte da Inglaterra, a zona norte do cemitério era reservada aos criminosos,
por ser considerada uma região de mau agouro, enquanto os fiéis piedosos eram enterrados
na parte leste, mais próximo da "Terra Santa", a nobreza na parte sul e o povão era amontoado
na parte oeste. Dureza mesmo é como têm sido tratados os suicidas. Considerados assassinos
de si mesmos, não podiam ser enterrados em terra consagrada. Até o ano de 1824 na Inglaterra,
havia uma Lei que mandava enterrar os suicidas em uma encruzilhada, com uma estaca a
traspassar-lhe o coração. É que havia a crença de que as pessoas enterradas fora dos cemitérios
- terra consagrada -  voltariam à Terra na forma de seres malignos, para atormentarem os
seres vivos, se não fossem presos a algum lugar com uma estaca. Ainda assim, mesmo que o
espírito conseguisse se libertar, ficaria totalmente perdido e não saberia que rumo tomar para
alcançar o mundo dos vivos, já que fora sepultado em uma encruzilhada. Também as cores são
usadas em muitas comunidades, como sinal de luto. No ocidente é o negro que assinala
tradicionalmente o luto.. Na China é o branco significando os votos de felicidade e prosperidade
no outro mundo. A vida e as energias físicas, são celebradas nos enterros ciganos e eles se
vestem de vermelho. Já no mundo celta , o vermelho significava a morte, pressagiava o desastre
e nunca era usado. Os muçulmanos acreditam que as almas dos justos assumem a forma de aves
brancas e, durante a idade média, essa crença se difundiu por toda a Europa. Realmente são
insondáveis os mistérios que cercam a morte e embora convivamos diuturnamente com ela,
jamais seremos capazes de aceitá-la racionalmente se seus tentáculos escolhem algum ente querido.

Excelente final de semana a todos, obrigada pelas visitas, espero que voltem sempre e
deixem seus comentários.

Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 13 de maio de 2011

RITUAIS FÚNEBRES VI



Assim como outros componentes dos rituais fúnebres, as lápides obedeciam, em sua origem, a
entregar os mortos aos cuidados de um deus e garantir sua segurança debaixo da terra. Desde
tempos imemoriais que as sepulturas, ao contrário do que se possa pensar, são assinaladas com
uma cruz e constituem uma reminiscência da cruz de aneis dos antigos adoradores do sol. Bem
mais tarde, quando a cruz se tornou o símbolo do cristianismo, a cruz de aneis foi primeiramente
adotada como símbolo da Igreja Celta. Até o final do século XVI, somente os membros da
classe dominante podiam ter seus túmulos marcados com a cruz. Até a posição dos corpos nas
sepulturas podia - cria-se - facilitar o desprendimento da alma do corpo. Algumas antigas tribos
galesas, enterravam seus mortos na posição vertical, para facilitar e abreviar a chegada da alma
ao ceu. Frequentemente os túmulos dos cristãos estão voltados para leste ou oeste, a depender
do lugar do sepultamento, com o abjetivo de apontar o corpo na direção de Jerusalem. Já no
Japão, os corpos são enterrados com as cabeças em direção ao norte. Essa tradição que deve
ser apenas para os mortos, é de tal maneira levada a sério pelos japoneses, que muitos
viajantes não esquecem de levar uma bússola na bagagem, com o fim precipuo de saberem
onde fica o norte, para  não dormirem com a cabeça apontada nessa direção! É que acreditam
piamente, que tal posição lhes trará azar.

Continua na próxima postagem.......

Bom final de semana a todos os meus ilustres visitantes.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 6 de maio de 2011

RITUAIS FÚNEBRES V.



O costume de enterrar objetos junto com os mortos, resultou em casos extremos e muito
dispendiosos, como  comprovou a descoberta do túmulo do jovem faraó egípcio Tutankhamon.
Ali foram encontrados tesouros fabulosos em ouro, marfim e outras preciosidades. Por outro
lado, alguns sepultamentos transformavam-se em verdadeiros holocaustos. No funeral dos antigos
reis citas, como Arianto e Dario (por volta dos anos 500 a.C.), foram enterrados vivos
mulheres, escravos e cavalos, com o objetivo de serví-los condignamente no além túmulo.
Nem se passaram 100 anos, quando algumas mulheres indus aceitavam o costume do sutee
que consistia em se jogarem sobre as piras funerárias dos maridos, para que nem a morte os
separasse. Muito embora em alguns estados da India essa prática fosse considerada crime por
uma lei de 1829, ainda os ingleses, no começo do século XX, tiveram que se esforçar muito
para erradicar essa tradição. Os chineses mantêm a pratica de enterrar oferendas, com uma
despesa bem menor: eles enterram seus mortos com a réplica dos objetos de uso pessoal, feitas
de papel.   Já os tibetanos, por acreditarem na reencarnação, dedicam à morte a mesma "arte "
que empregam à vida. Assim como aos vivos, eles leem para os mortos o Bardo Thodol -
Livro Tibetano dos Mortos - . Eles creem que, desse modo, se instrui o morto sobre os
mistérios que os esperam na vida extraterrena, antes de seu regresso à Terra, numa outra
encarnação.

Continua na próxima postagem.........

Um ótimo final de semana a todos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe  

sexta-feira, 29 de abril de 2011

RITUAIS FÚNEBRES IV.



Graças ao custume de colocar objetos nos túmulos junto ao morto, mantido durante séculos,
os arqueólogos poderam deduzir - à vista das oferendas escolhidas - as ideias dos diversos
povos sobre o que esperavam da vida após a morte. Os egipcios acreditavam numa vida
além túmulo  rica e luxuosa. Assim, colocavam na tumba objetos ornamentais e utensílios
domésticos. Os Vikings sepultavam seus herois mortos junto com armas que seriam usadas
no Valhalla: eles eram incapazes de imaginar um Paraíso sem lutas e guerras. Assegurava-se
tambem que o morto fosse provido do necessário para usar no " novo mundo ", para não
sentir vontade de regressar ao "mundo antigo". De igual modo, as coroas de flores não
eram apenas ornamentos colocados para honrar a memória dos mortos; a principal função
era atuar como um círculo mágico que prendia a alma, impedindo-a de voltar ao mundo dos
vivos, ao qual não mais pertenciam. Os antigos gregos colocavam na sepultura uma moeda
de ouro com o ebjetivo de pagar a passagem do barco que levaria o morto atravez do Estige
para o Hades. Na Escandinávia calçavam-se os defuntos com resistentes sandálias para,
supostamente, lhes facilitar a longa caminhada para o "novo mundo ". Já os índios americanos
Zuni, costumam enterrar pão nas sepulturas, para que o guerreiro morto não tenha de voltar
ao mundo dos vivos, quando sentir fome.

Continua na próxima postagem.....

Um ótimo final de semana a todos. Obrigado pela visita.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 22 de abril de 2011

RITUAIS FÚNEBRES. III



O ritual da cremação de corpos foi, por muitos séculos, considerado ilegal nos países cristãos,
porque se contrapunha à doutrina da ressurreição corporal. Era exatamente por essa razão que
as "feiticeiras" medievais eram amarradas a um poste e queimadas - de modo a destruir-lhes os
corpos nefandos e as almas pecadoras -. Na Inglaterra, a cremação começou a ser admitida há
pouco mais de 120 anos. quando o Dr.William Price, galês excêntrico que se considerava um
chefe druida, cremou o cadáver de seu próprio filho. Price foi a julgamento em Cardiff em 1884.
O juiz que presidiu o julgamento determinou a inocência do reu e considerou a cremação legal, desde
que não trouxesse prejuizo nem incomodasse a outrem. Assim foi aberto o caminho que nos levou
aos crematórios modernos. O enterro, pelo contrário, era destinado a conservar o corpo, quer
devido à crença cristã do "Dia do Juizo Final ", quer por se considerar o corpo necessário na
vida além túmulo. Os antigos faraós egípcios, tinham seus órgãos cuidadosamente retirados
e embalsamados separadamentre de seus corpos. Antes do túmulo ser lacrado, esses órgãos
eram colocados ao lado do corpo mumificado. Era crença que, desse modo, se garantia ao rei
morto a permanência física integral no outro mundo, para onde o faraó estava transitando.

Continua na próxima postagem.....

Desejo a todos os meus amigos e visitantes uma ótima Páscoa.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 15 de abril de 2011

RITUAIS FÚNEBRES II



No final do verão de 1360, na cidade de Coimbra, realizou-se uma macabra cerimônia fúnebre.
Por ordem expressa do rei D. Pedro I, o Cruel, os mais altos dignatários do País foram
obrigados a beijar a mão do cadáver de uma mulher sentada no trono, com vestes reais e já
em adiantado estado de decomposição. A morta era Inês de Castro, que casara secretamente
com D. Pedro I, recentemente coroado. Ela viera para Portugal em 1342, para ser aia da
princesa D. Constança, mulher verdadeira e oficial de D. Pedro, então apenas herdeiro do
trono. Os amores tidos como ilícitos, do príncipe com Inês, não só causaram escandalos na
corte, como despertaram em D. Afonso IV, o temor de que Inês, instruida por seus irmãos
castelhanos e poderosos, exercesse influência no ânimo do herdeiro do trono a ponto de permitir
a reanexação da nacionalidade portuguesa, ainda não reconhecida por Castella. No dia 7 de
janeiro de 1355, Diogo Lopes Pacheco, Álvaro Gonçalves e Pero Coelho, a mando de D.
Afonso, se dirigiram ao Paço de Sta. Clara, em Coimbra e decaptaram Inês na frente de seus
4 filhos. Mal subiu ao trono, em 1357, D. Pedro pediu ao rei de Castela a extradição dos
carrascos de D. Inês que, após a morte de D. Afonso, haviam se refugiado no país vizinho.
Apenas 2 foram capturados: Álvaro Gonçalves e Pero Coelho. Levados à presença de
D. Pedro I, tiveram seus corações arrancados, um pelo peito e o outro pelas costas! Hoje,
D.Inês, vítima do que se poderia chamar de um crime político, está sepultada ao lado de D.
Pedro, num túmulo do Mosteiro de Alcobaça.


Continua na próxima postagem.....

Um ótimo fnal de semana a todos e um forte abraço do amigo,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 8 de abril de 2011

RITUAIS FÚNEBRES. I




A humanidade, desde tempos imemoriais, sempre atribuiu à morte duas
qualidades diferentes: a primeira apresentando a figura luminosa de São
Pedro (ou símbolo equivalente), postado às portas do Paraíso ou a segunda representada pela  figura esquelética e sinistra com uma foice na mão, pronta a ceifar vidas, vestida com esvoaçantes roupas negras. Quase sempre as duas figuras eram e são apresentadas nas cerimônias fúnebres. Houve quem costumasse deixar oferendas junto aos corpos, para que seus entes queridos tivessem instrumentos para tornar mais fácil sua vida no outro mundo, desde que tivessem apresentado aqui na terra, uma existencia considerada boa e benéfica para os seus semelhantes; se, ao contrário, sua vida tivesse sido problemática ou cheia de mal feitos, seu coração teria de ser traspassado por uma estaca de madeira, para deixar a certeza de que não regressaria jamais do além... No Oriente, foi criada uma das formas mais antigas de satisfazer a ambos os objetivos: a cremação dos corpos. A crença era  que o espírito ou alma seria impulsionado pelas chamas até o ceu, enquanto o corpo era totalmente destruido pelo fogo, para que nunca tivesse a possibilidade de assombrar os viventes sobre a terra.

Continua na próxima postagem.....

Um ótimo final de semana a todos, agradeço as visitas ao meu BLOG.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 1 de abril de 2011

SINAIS DE FUMAÇA SOBRE ROMA???



É, não só os indigenas americanos usavam os sinais de fumaça na comunicação. Tambem a Igreja
Católica os usa, por ocasião da eleição de um novo PAPA. Milhões de católicos ou  não católicos,
aguardam ansiosamente a decisão dos cardeais, expressa numa cerimonia antiga de carater ultra
secreto. Nada de cameras ou reporteres. O mundo sequer sabe, com certeza, quais são os
candidatos, embora haja muita especulação. Apenas quando um penacho de fumaça branca se
ergue de uma chaminé de ferro no teto do VATICANO é que o mundo fica sabendo que foi eleito
um novo PAPA e que o eleito aceitou o posto. Em seguida o CARDEAL PROTODIÁCONO
(o decano dos Cardeais), proclama da sacada: HABEMMOS PAPA. Em seguida, o nome do
novo PAPA é revelado à multidão que aguarda na Praça de São Pedro. O anúncio é feito em
latim, normalmente no caso genitivo, como por exemplo, JOANNIS PAULI PRIMI. Outras
vezes pode ser usado o caso acusativo, como ocorreu em 1963, quando foi anunciado 
PAULUM SEXTUM. Na cerimonia do anúncio, é citado em primeiro lugar o nome papal
seguido do sobrenome de nascimento, na lingua nativa do eleito, por exemplo, WOJTYA;
em seguida o anuncio é feito usando o nome papal completo, por exemplo, JOANNIS PAULI II.

Um ótimo final de semana a todos. Abraço e voltem sempre.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 25 de março de 2011

QUANDO UM PAPA MORRE...



Quando se verifica a morte de um Papa, realizam-se suas exéquias na Basílica de São Pedro,
durante um perríodo de 15 a 18 dias. Nessa ocasião, os Cardeais - os mais altos prelados na
hierarquia da Igreja Católica Romana - veem de todo o mundo, para uma reunião muito especial.
Nela são decididos, depois de muita discussão e votos secretos, quem terá o privilégio de ser o
sucessor de Pedro, considerado o primeiro Papa pelos Católicos. O Anel do Pescador, símbolo
da autoridade do homem que comanda por volta de um bilhão de fiéis que lhe prestarão obediência,
é, habitualmente de ouro, tendo incrustada  uma pedra preciosa. A tradição do Anel do Pescador
tem muitos séculos, embora não se saiba qual foi o primeiro Papa a usá-lo. Para garantir o absoluto
sigilo do conclave, as portas do local da reunião são entaipadas e, qualquer comunicação com
o exterior processa-se através de placas giratórias (aquelas mesmas de alguns moteis),
cuidadosamente vigiadas, apenas para recepção de alimentos e outras necessidades prementes,
porem sem que os intervenientes se possam ver. Para a contagem do boletim de votos, são eleitos
pelos Cardeais 3 escrutinadores que mudam a cada escrutinio. A votação só é concluida quando
outorga a um dos candidatos a maioria de dois terços mais um, dos votos. Quando esse requisito
não é satisfeito, os boletins são misturados com palha molhada e queimados, o que produz uma
fumaça negra, que indica um resultado negativo. Finalmente, as vezes depois de muitos dias, um
dos Cardeais obtem a maioria necessária. Os boletins são então misturados com palha seca
e queimados, produzindo uma fumaça branca.
Ouve-se, então, o clamor da multidão na Praça de São Pedro :
"Fumaça branca! Viva o Papa!!!".

Continua na próxima postagem...

Um ótimo final de semana, abraços.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 18 de março de 2011

COSTUMES NUPCIAIS - FINAL -



Os banquetes sempre sempre foram um meio de consolidar o novo parentesco. Nos casamentos
tradicionais malaios, durante a cerimonia, os noivos alimentam-se mutuamente com arroz cru.
Nos casamentos na Nova Guiné, os noivos consomem tudo que conseguirem de um porco morto
para tal fim. Já algumas tribos bosquimanas da Africa do Sul, costumam obrigar os nubentes a
consumir uma espécie de antílope caçado e abatido previamente pelo noivo, até restarem somente
os ossos. Mas, bizarro mesmo, é o costume da tribo Todras, de Nilgiris, um distrito de Madrasta,
no estado indiano de Tamil Nadu no sul da India, ( produtor de um dos melhores chás do planeta ).
Quando um jovem se casa, todos os seus irmãos adquirem tambem os direitos conjugais sobre
a noiva, uma vez que se considera que ela se casa com toda a família. Se a noiva engravidar, é
realizada uma cerimonia denominada pursutpime onde é determinada a paternidade. Depois que
os pais potenciais, ou seja, os irmãos, discutem, o escolhido presenteia a noiva debaixo de uma
árvore determinada, com um arco e uma seta, cerimonia essa presidida por um ancião da tribo.
Dai em diante, todos os filhos que nascerem, serão considerados pertencentes ao pai escolhido
no pursutpime, mesmo se nascerem após a sua morte! Essa condição vigora até que haja um
novo casamento da viúva.

Um excelente final de semana a todos, espero que tenham gostado dos textos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 11 de março de 2011

COSTUMES NUPCIAIS II.



Muitos costumes ainda hoje observados, tiveram origem em antigas tradições:
- O veu nupcial foi introduzido pelos antigos gregos e romanos com o fim de proteger e resguardar
a noiva do mau olhado de um possível pretendente ciumento.
- A aliança data do tempo dos antigos egípcios. Nesse tempo ela era colocada no terceiro dedo
da mão da noiva, que segundo se pensava, tinha uma veia que conduzia diretamenmte ao coração.
Feita de ouro, o metal mais resistente, de onde deriva a superstição de que, se quebrada, significa
desgraça próxima.
- Reunir as peças que compõem o enxoval provem da Europa Central. Na França o marido recebia
um pacote com objetos valiosos e as roupas de baixo deviam ser confeccionadas pela própria noiva.
- Jogar arroz nos noivos tem origem num velho ritual  grego de fertilidade e desejo de prosperidade
aos noivos. Nas ilhas Sulawesi, Indonésia, acreditam que se não subornarem a alma do noivo com
arroz, ela voará apos a cerimonia e jamais regressará.
- O costume ocidental de distribuir fatias do bolo nupcial aos convidados, procede do hábito romano
de repartir o pão, distribuir entre os presentes sobre a cabeça da noiva, como garantia de sucesso
material.
- Numa tribo nômade da India Central, os Lambodes, o casamento é um acontecimento triste. No
dia seguinte à cerimonia, a noiva senta sobre um boi castrado e chora a sua mágoa por deixar o pai,
a mãe e o restante da família.

Continua semana que vem...

OBS: Agradeço penhoradamente ao caro leitor que me chamou a atenção para o engano na
ilustração da postagem a respeito de GIL EANES. Já corrigi o erro e espero continuar a merecer
suas gentis visitas e comentários. Apenas gostaria de saber a quem agradecer uma vez que  no inicio
do comentário está escrito " Fernan d'Oliueira"e ao final " Mario ".
Mesmo assim, muito obrigado!

Um ótimo final de semana. Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 4 de março de 2011

COSTUMES NUPCIAIS - I.



- Quando duas mulheres das tribos Choroti e Chaco, no Paraguai, querem casar com o mesmo
homem, lutam entre si, calçando luvas de pele de anta. Quem vencer casa.
- Se voce for um homem habitante das ilhas Trobriand, perto de Papua, prepare-se para ser mordido
pela primeira mulher que gostar de voce. É desse modo que ela se declara.
- Hábito comum nos paises frios como Holanda, Suiça, Escócia e País de Gales, era a permissão
para que os casais se deitassem na mesma cama, desde que vestidos e envoltos em lençois separados.
- Grande parte das noivas na Escócia do século XIX - na verdade 90% delas - casavam-se
grávidas, contrariando todas as convenções da época.
- Ja nas Ilhas Salomão, no Pacífico, toda jovem prometida a um chefe ou dignatário, era mantida
numa jaula, por vezes duarante anos, vigiada de perto por seu pai, até o dia do casamento.
- Na ilha alemã de Borkum, situada na foz do rio Ems, quem cortejasse uma jovem e demorasse
muito a casar, era submetido à prova do fumo e da água: sua casa era rodeada pelos jovens da
aldeia que obstruiam a chaminé e enchiam-na de fumaça. Pouco depois, entravam pelo sótão e
perguntavam se o interessado na moça iria  mesmo casar. Se a resposta fosse sim, toda a aldeia
iniciava os festejos; caso a resposta fosse negativa , ele era arrastado atraves de um lago, por tres
vezes, amarrado a uma corda.

Continua na próxima postagem.

Comunico a todos os amigos leitores e visitantes, com muito pesar, que o meu querido amigo e
conterrâneo Renato Guerreiro, a quem me referi na postagem sob o título  " Agradecimento e
Súplica ", do dia 22.10.2010, perdeu, no inicio desta semana, a luta tenaz que manteve contra
uma implacável doença, durante os últimos anos. Que descanse em paz!...

A todos um excelente final de semana e aproveitem bastante de forma sadia o CARNAVAL!

Abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

GIL EANES: O PIONEIRO DOS DESCOBRIMENTOS.


Ao sul das ilhas Canárias, na base dos penhascos do cabo Bojador, o Atlântico fervilhava de espuma numa fúria avassaladora. Os enormes cardumes de sardinhas emprestavam à água a aparência de metal em fusão. Os mares precipitam-se em barrancos abissais ocultos e explodem como gêiseres em altíssimas colunas brancas. Era essa a ideia que se tinha do mar, após as colunas de Hércules, como era denominado o estreito de Gibraltar. Nesse local onde, segundo os marinheiros da Antiguidade, se abriam as portas do Inferno, tinha inicio o Mar da Escuridão povoado de monstros e dos espíritos dos marinheiros mortos... o fim do Mundo! Por causa dessas crenças aterrorizantes, os descobridores avançavam lenta e medrosamente, mar a dentro, ao rítmo de 1 milha por ano. Só em 1434, um portugues com "aquilo" roxo, Gil Eanes, que desprezava as superstições, decidiu descobrir o que de fato havia ao sul do Bojador. Zarpou em viagem para o " fim do mundo ", cujos limites ultrapassou. Surpresos devem ter ficado os tripulantes temerosos, pois em apenas 24 h ( tempo muito curto para a navegação da época ), passaram a barreira sinistra do Bojador, penetrando em águas calmas, sem que um monstro sequer lhes aparecesse. Terrores dissipados, navegaram para Leste, tendo como recompensa a descoberta de uma costa de areias brancas, inexplorada e desconhecida; era a África. Para conhecer as 900 milhas ao Sul das ilhas Canárias, os europeus levaram 1000 anos. Graças ao destemor de Gil Eanes que empreendeu uma épica viagem para além do aterrorizante "Mar da Escuridão", foi inaugurada a época dos descobrimentos e, em menos de 70 anos, foi traçado nos mapas da época, o restante das 10000 milhas do litoral acidental africano. E os livros didáticos nunca falam dele...

Um ótimo final de semana a todos os meus am igos e visitantes,
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A GRANDE MURALHA.



A construção de maior envergadura feita pela mão do homem é, sem dúvida, a grande MURALHA
DA CHINA. Estendendo-se ao longo de 2694 km, começa no Mar Amarelo e vai até a Porta
de Jade na desértica Asia Central. Foi Shih Huang-Ti, imperador da dinastia Chín, que a começou
no ano de 214 a.C., destinada a proteger a vulnerável fronteira norte de seu império, aberta às
incursões dos destemidos e crueis cavaleiros mongóis - os Hunos - que séculos mais tarde
derrubariam o Império Romano. Dezenas de milhares de criminosos, divididos em turnos
estafantes, realizavam trabalhos forçados para completar a muralha, cuja construção, segundo
lendas chinesas, custou a vida de 1 milhão de individuos. Séculos antes, reis e principes haviam
erguido muralhas  em torno de suas cidades. Shih Huang-Ti, juntou tres seções dessas antigas
muralhas fronteiriças para formar um sistema de defesa continuo, rodeando todo o seu império.
Em alguns pontos, a muralha é apenas de terra, em outros transforma-se num talude de cascalho
revestido de tijolos e pedras. Numa época em que as armas eram rudimentares, a muralha
mostrou-se eficaz. O grande problema era manter vigilância e força defensiva ao longo de toda a muralha.
Shih Huang-Ti morreu apenas quatro anos após o inicio dos trabalhos, mas seus sucessores
continuaram as abras até o seu final. Ela atinge em alguns locais a altura de 9 m, com torres de
12 m de 200 em 200 m e taludes de até 9,5 m. Hoje, decorridos mais de 2200 anos, a escalada
sinuosa atraves dos montes ao norte de Pequim, constitui ainda um espetáculo deslunbrante ao
observador que se encontre quer em terra, quer no espaço, pois a GRANDE MURALHA é a
única realização humana de dimensões suficientemente grandes para ser vista da LUA.

Bom final de semana, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

BRINCALHÃO SIM. MAS MUITO ÚTIL!!!



Professor da Universidade de Aberdeen e conselheiro para assuntos científicos do governo
britânico, REGINALD JONES era, na verdade, um grande brincalhão! Certa vez telefonou
diversas vezes no mesmo dia para a casa do eminente professor de filosofia, seu colega, desligando
tão logo o telefone era atendido. Lá pelas tantas, ligou novamente e dessa vez se fez passar por um
funcionário da companhia telefônica, informando que a linha estava com um problema devido
a uma "fuga para a terra" (? ) e que, para resolver o problema, ele tinha que seguir corretamente
todas as instruções que lhe fossem sugeridas. Quem visse , naquela hora, o professor, ficaria
intrigado com o que ele começou a fazer: introduziu a caneta no telefone, ficou apoiado apenas
na ponta de um pé, tocou o auscultador do telefone com uma borracha e, finalmente, introduziu
o fone em um balde com água.  Tudo isso, claro, atendendo às intruções do "técnico" do outro
lado da linha. Mas suas brincadeiras revelaram-se muito úteis ao seu País. Quando os alemães
começaram a bombardear a ilha, descobriu-se que usavam uns feixes de luz para guiar seus
bombardeiros rumo aos alvos. Um cientista comum teria causado interferência nesses feixes,
mas Jones não. Ele transmitiu de Londres a réplica de um sinal que fez os aviões alemães
sairem da rota e despejarem suas bombas em um campo deserto. Outra utilidade de suas
brincadeiras, refere-se a um dispositivo de navegação denominado H25 que ajudou os
bombardeiros aliados a descobrir submarinos alemães que estavam dizimando os comboios
aliados. Os alemães compreenderam que a RAF tinha um instrumento novo, mas Jones os
despistou, divulgando que teria inventado um raio infravermelho, capaz de localizar submarinos.
Ao saberem disso, os alemães se apressaram em substituir a pintura de toda a frota de submarinos
por outra feita com tinta especial, para impedir sua localização pelo "raio"que, afinal, nunca existiu...

Um ótimo final de semana a todos, obrigado pela visita.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

EXCERPT FROM THE DIARY OF A WOMAN RESOLVED.



Embora de cabelos claros, os meus são pintados para esconder os fios brancos.
Quando mesmo começaram a branquear?.. Tenho algumas rugas em volta dos olhos mas
não me lembro bem quando surgiram. As vezes tento disfarçá-las; são tantas as novidades
no campo cosmético!... Do corpo quase não cuido. Tanto que só recentemente, por ordem
médica, entrei para uma academia. Ele insistiu que na minha idade preciso de exercícios...
Não gosto de ginástica. Acabo faltando muito. Das unhas cuido muito bem; penso que elas são
uma espécie de cartão de visita. Maltratadas elas causam uma péssima impressão. De uns dez
anos pra ca, descobri os cremes e ai, compro um aqui outro ali, mas acabo não usando como
devia. Acho que só de olha-los na prateleira, as rugas se retraem... Sou assim, vaidosa mas na
medida certa para uma mulher sem grilos. Não pretendo disfarçar meu envelhecimento, mesmo
porque de nada adiantaria. Só me tornaria ridícula... ao contrário, procuro a convivência pacífica,
lembrando ora sorrindo, ora chorando, de como os sinais do tempo apareceram. É, cada uma
das rugas tem uma história! Tambem os fios brancos têem histórias: froram amores, marido,
filhos, amigos que os colocaram onde estão! Não quero me livrar de nenhuma dessas marcas,
afinal correria o risco de me livrar tambem da lembrança dos momentos de prazer e felicidade que
a vide me proporcionou e proporciona. Atualmente dedico mais atenção à minha cabeça.
Tento mantê-la no lugar e focada na minha realidade atual. Sempre equilibrada e jamais deixando
de sonhar. Corpo e mente devem caminhar juntos. Se um estiver em estado lastimável o outro
vai se deteriorar, com certeza. Não escondo minha idade. Tenho sessenta e um anos; metade
deles muito bem vividos e a outra metade muito sofridos. É exatamente aí que está o encanto da
minha idade! Conheci de tudo um pouco dos sorrisos às lágrimas e ambos contribuiram pra me
tornar a pessoa que sou hoje. Ficaram as rugas no rosto e na alma mas tambem os sorrisos em ambos...
E minhas rugas mais bonitas são as marcas de expressão que adquiri por tanto sorrir, muitas
vezes quando o coração chorava...!

Bom final de semana, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe 

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

QUAL A ORIGEM? IV



- CERVEJA:
Desde os tempos dos primeiros registros históricos, esta bebida de consumo
altíssimo no mundo de hoje, já era fabricada a partir de vários cereais e plantas. No ano de
3400 a.C. era cobrada uma taxa na cidade egípcia de Mênfis às margens do Nilo, sobre o
"vinho de cevada ", apenas uma das cervejas mais populares à época. Foram os gregos que
transmitiram aos romanos os segredos da fermentação da cerveja, que se tornou a principal
bebida das legiões de César. Obtem-se esta bebida atraves da fernentação do malte,
aromatizado com lúpulo ou outras plantas amargas.



- COCA COLA:
Bebida de consumo universal, a Coca Cola foi criada numa cozinha nos fundos de uma farmácia
em Atlanta, Georgia, em 1886. John Pemberton, farmacêutico - conhecido por Dr. Pemberton
pela sua mania de criar poções  medicinais - , conseguiu, depois de varias tentativas, descobrir
a receita para uma bebida não alcoólica de sabor agradável, da qual vendeu os direitos por
poucos dólares, 4 anos antes de morrer. Bastaram 40 anos para o nome Coca Cola tornar-se
conhecido em todo o mundo. A bebida deriva-se da coca, um arbusto sul-americano cujas
folhas fazem parte de sua composição e cola, um extrato da noz de cola. A receita exata é um
segredo cuidadosamente guardado.



- COCKTAIL:
Há quatro teorias para explicar a origem do termo:
 1 - Essa mistura de bebidas alcoólicas foi sorvida pela primeira vez como brinde no tempo
dos combates de galos, em homenagem ao galo (cock) que após o combate, conservasse o
maior número de penas na cauda (tail).

2 - O nome deriva da palavra coquetier, tipo de taça em que era servida a bebida, no tempo
em que a influência francesa era grande em Nova Orleans.

3 - Esse nome provem de cokale, bebida muito fermentada que era administrada aos galos
na Inglaterra para mantê-los fogosos no combate.

4 - Esta a origem mais provável: o nome se origina da palavra coquetel, bebida mista oriunda
da região vinícola de Gironda, muito popular durante a Revolução Francesa.

Bom final de semana a todos, até a próxima.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe 

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

QUAL A ORIGEM? III



PAPEL MOEDA:
- Foi na China, em 1170, que se usou, pela primeira vez, papel para substituir e complementar
as moedas, pois, nesse tempo o cobre ficara escasso e não havia moedas em quantidade suficiente.
O primeiro papel-moeda da Europa foi emitido pelo Banco da Suécia em 1661, a título provisório.
Ao ser fundado, em 1694, o Banco da Inglaterra começou a emitir notas promissórias
manuscritas e depois impressas.  Essas notas se tornaram universalmente aceitas como forma
de pagamento transformando-se nas primeiras notas verdadeiras.



- VASELINA:
- O químico ingles Robert Chesebrough, enquanto trabalhava nos campos petrolíferos da
Pensylvania, em 1859, notou que para tratar contusões e queimaduras, os trabalhadores usavam
um residuo incolor que obtinham nos êmbulos das perfuratrizes. Levou para Nova York amostras
dessa chamada "cera dos êmbulos" e refinou-as até obter o unguento que conhecemos hoje. Esse
químico, que viveu até os 96 anos, afirmava que bebia diariamente uma colher de vasilina. Será que?


- MESES DE 30 e 31 DIAS:
- Quando os romanos, no tempo de Júlio César, inventaram o calendário juliano, decidiram que
teriam 31 dias os meses com especial significado religioso e 30 os de menor importância. Desta
forma, janeiro, assim chamado em honra do deus Jano, março de Marte e julho em honra do
próprio César, encontram-se entre os meses com 31 dias. Augusto, sucessor de César, denominou
agosto a partir do seu próprio nome e, claro, atribuiu-lhe 31 dias. Os meses julianos de setembro
(de sétimo) e outubro (oitavo mes), tornaram-se, respectivamente o nono e o décimo meses quando,
em 1582, o papa Gregório alterou o Ano Novo da data juliana de 25 de narço para primeiro de
janeiro.


Na próxima semana tem mais...

Abraço e um ótimo final de semana.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

QUAL A ORIGEM ? II


- FÓSFOROS:

Um farmacêutico ingles, John Walker, ao notar que uma mistura de cloreto de potássio e
sulfureto de antimônio, incendiava quando friccionada, é o responsável por esse importante
invento. Vendeu a primeira caixa de fósforos em 1827. Junto com a caixa, era oferecido um
pequeno pedaço de lixa. Não ganhou nada pelo seu invento pois não requereu a patente.




- FACA DE MESA:
 
Até o século XVIII os comensais serviam-se de punhais para palitar os dentes. Incomodado
com essa prática pouco civilizada, o cardeal Richelieu ordenou que todos os punhais usados
à mesa, tivessem suas pontas arredondadas.




- MATA-BORRÃO:

Até o inicio do século XIX, usava-se areia para absorver a umidade da tinta no papel. Foi um
operário de uma fábrica de papel na Inglaterra, que descobriu, acidentalmenmte, o mata-borrão,
ao esquecer de aplicar determinado tratamento a um lote do produto, o que lhe emprestaria
uma superfície polida e própria para a escrita. O proprietário da fábrica ao tentar usar o lote
considerado imprestável, como rascunho, acabou descobrindo que a tinta era absorvida.
Surgiu aí o mata-borrão.

Continua na próxima semana...

Um ótimo final de semana a todos.
Abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

QUAL A ORIGEM?




Fonte de Manneke Pis: Desaparecera o filho de um importante cidadão de Bruxelas.
Durante a procura desesperada, prometeu que ofereceria à cidade uma estátua de bronze
representando o menino ao ser encontrado. Ao encontra-lo cumpriu a promessa e a estátua
e a fonte converteram-se numa atração turística de Bruxelas desde 1648. Os turistas que
acharem estranha a estátua, saibam que o menino, quando encontrado, estava fazendo xixi.

- Cigarros: Um grupo de soldados russos que defendia a cidade de S. João de Acre dos
ataques de Napoleão, em 1799, teve seu hookah (cachimbo comunitário refrigerado a água),
destruido por uma bala de canhão. Um deles teve a ideia de enrolar o tabaco em um papel
embebido em nitrato, utilizado para disparar os canhões. Assim surgiu o cigarro.

- Continencia: Há mais de uma versão. Na primeira, pensam alguns historiadores, que ela
surgiu quando os soldados com armaduras, erguiam a viseira para mostrar o rosto a um superior.
Outra versão (desprovida de qualquer comprovação histórica), assinala que durante um
concurso naval ao qual compareceu Isabel I, destinado a celebrar a derrota da armada espanhola
em 1588, o oficial que dirigia as provas ordenou que "devido à ofuscante beleza de S. Majestade,
todos os marinheiros, ao receberem seus prêmios, devem protejer os olhos com a mão direita".
A rainha estava longe de ser bonita. Puro puxa-saquismo...

- Praça Vermelha: Enganam-se os que pensam que este nome tem a ver com o comunismo
implantado com o advento da revolução de 1917. A famosa praça de Moscou, deve seu nome a
uma palavra russa  que significa vermelha e bela (krasnaya) e é chamada desse modo desde a
Idade Média.


Novas curiosidades na próxima postagem...

Bom final  semana, grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe