sexta-feira, 29 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. IV



É fácil distinguir cogumelos venenosos dos comestiveis.

Não há nenhum processo que distinga as duas espécies. Não existe nenhum detalhe específico
de uma que não se encontre tambem na outra. É falsa, por exemplo, a ideia de que somente são
comestiveis os cogumelos brancos ou que apresentarem um anel na base do caule. O fungo
Amanita virosa possui ambas as características, mas não é comestível. Nenhum cogumelo que
tenha adquirido a cor azulada é, necessariamente, venenoso. A espécie comestivel Boletus edulis,
quando amassada, pode ficar castanho-escuro, azul-clara ou escura, vermelha, púrpura, verde,
violeta ou até mesmo negra e continuar a ser comestível. A alteração de cor, significa tão somente
a existencia de um processo de fermentação. O cheiro, tão pouco, é uma forma de distinguir entre
as duas espécies. Alguns cogumelos mortalmente venenosos, tais como o Amanita phalloides,
exalam um odor muito agradável. Outros com péssimo cheiro, podem ser consumidos sem
nenhum problema, com toda a segurança. A melhor forma de identificar cogumelos comestiveis
é utilizar um livro de botânica ilustrado. A regra principal, porem, é: em caso de dúvida, não coma!

Contunua na próxima postagem......... 

Um  excelente final de semana a todos, voltem sempre e obrigado pela visita.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 22 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS III

.

- Comer peixe faz bem para o cérebro.

Nenhum alimento em particular contribui para o bom funcionamento do cérebro ou de qualquer
outro órgão. Dos materiais absorvidos pelo sistema circulatório durante a digestão, os diversos
tecidos aproveitam apenas as substâncias de que necessitam. Uma alimentação equilibrada 
satisfará todas as necessidades das células, embora a falta de alguns alimentos possa
eventualmente provocar deficiências de  várias ordens. A crença de que o peixe, em especial,
é aconselhável para assegurar o bom funcionamento do cérebro foi divulgada no século XIX
pelo filósofo e físico alemão Friedrich Buchner ( 1824 - 1899 ), que, quando soube que o
cérebro continha fósforo, apressou-se a declarar que "sem fósforo não há pensamento.
"No mesmo embalo, o físico frances Jean Dumas ( 1800 - 1884 ), confirmou que o peixe
é rico em fósforo. O naturalista suiço Jean Louis Agassiz  ( 1807 - 1873 ), relacionou
ambas as ideias  e concluiu que o peixe fazia muito bem ao cérebro! A realidade porem é
outra: como há abundância de fósforo nos rochedos e nos diversos minerais da Terra, na sua
maioria os alimentos contêm quantidades variáveis desse elemento.

- Não se devem comer ostras senão nos meses com R.

É por pura coincidência que os nomes dos 4 primeiros e dos 4 últimos meses do ano (quando,
segundo se afirma,  se devem comer ostras), contêm a letra R. A crença originária da Europa,
considerava arriscado comer ostras, geralmente cruas, nos meses de verão, numa época em
que não havia frigoríficos. A composição química das ostras, varia de estação a estação,
especialmente durante o periodo de desova, nos meses de maio e junho, mas nunca chegam a
ser venenosas. Depois da desova, as ostras contêm menos glicogênio, mais água e
apresentam-se mais claras, mantendo entretanto o mesmo sabor.

Continua na próxima postagem....  

Bom final de semana, abraço a todos.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 15 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. II



- Pão escuro é melhor do que o branco.

Se levarmos em consideração apenas o valor nutritivo, não existe nenhuma diferença entre os
dois. Simplesmente, enquanto o pão branco é feito de farinha ã qual foram retirados o farelo
e a película externa dos grãos do cereal, o escuro ( chamado integral ), é feito do trigo íntegro.
Ambos possuem todos os nutrientes necessários aos adultos e às crianças, tais como: vitaminas,
sais minerais e os hidratos de carbono. Há, no entanto, quem considere benéfico para os
intestinos as substâncias encontradas no pão integral e que o pão branco não contem. Embora
os padrões variem de país para país, a farinha branca deve ser  enriquecida com elementos
nutritivos. Nos países escandinavos a quantidade do nutriente riboflavina é adicionado em
quantidade correspondente ao dobro das adicionadas nos EE.UU., por exemplo.

- Beber água do mar enlouquece.

Embora a água do mar possa conter produtos quimicos prejudiciais à saúde, nenhum deles pode
causar específicamente a loucura. Sem dilui-la, porem, antes de bebe-la, em uma quantidade
de água potável, pode causar o envenenamento dos rins e, ao fim de algum tempo, a morte,
devido à excessiva concentração de sal. Em casos de extrema necessidade, deve-se usá-la em
pequenas quantidades, como complemento da água potável, sem nenhum problema maior.


Continua na próxima postagem......

Bom final de semana a todos.
Abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 8 de julho de 2011

CRENÇAS INFUNDADAS SOBRE OS ALIMENTOS. I



- Os ovos escuros são mais nutritivos.

Na Inglaterra os ovos escuros são considerados de melhor qualidade. Já nos EE.UU.
a crença é diametralmente oposta. Claro que os criadores de ambos os países, esforçam-se
para produzi-los de acordo com a preferência do fregues. Ambas as crenças, porem,
carecem de fundamento. Os ovos não são produzidos para fornecerem alimento ao homem
mas ao pinto que se desenvolverá em seu interior, a cor da casca, que representa um estágio
avançado do desenvolvimento do ovo, depende única e exclusivamente da raça da galinha;
na ocasião em que a casca se forma, o valor nutritivo do ovo já foi definitivamente estabelecido.

- Comer sementes causa apendicite.

Na estatística do conteúdo dos apêndices removidos, poucos casos da presença de semente
foram constatados. Muitos objetos de presença improvável, ja foram verificados, como por
exemplo, dentes de ouro, cerdas de escovas de dente, extremidade de termômetro, entre outros.


Continua na próxima postagem............

Bom final de semana a todos.
Grande abraço.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 1 de julho de 2011

MITOS SOBRE O CORPO E A SAÚDE. - Final



- Na Russia vivem os homens mais velhos do mundo.
 Segundo a ONU, os centenários vivos em todo o mundo, eram, no ano de 1972, 25.000. A
União Soviética, após a publicação desse resultado, apressou-se a declarar que, desse total,
21.000 homens eram nascidos no estado da Georgia. Não fosse esse número tão alto
(21.000 em 25.000), os dados fornecidos pelos russos poderiam ter sido aceitos sem um
exame mais acurado. O percentual tão elevado, no entanto, despertou a desconfiança de alguns
peritos em estatística. O estado da Georgia era a terra natal de Stalin e ficou famosa porque
dizia-se que havia 51 homens centenários para cada 100.000 habitantes. Em 1961, os
russos já haviam declarado que no estado do Azerbaijão o número de centenários era de 84
para cada grupo de 100.000. Segundo a mesma declaração, 592 pessoas haviam ultrapassado
a idade de 120 anos. Depois de minuciosa análise esses dados provaram ser totalmente falsos.
Constatou-se que, onde quer que esses pretensos centenários existam em quantidades
excepcionalmente grandes, verificam-se anomalias altamente suspeitas:

-Não existe um número proporcionalmente alto de octogenários e nonagenários, lacuna que não
conseguem explicar;
-Os exames médicos procedidos indicaram que, na verdade, os supostos centenários não atingiram
sequer 80 anos;
-Muitos desses anciãos não possuem certidão de nascimento, são analfabetos e ignoram a noção
de datas;
-Há quem sugerisse que alguns deles, menos ingênuos, acrescentaram alguns anos à sua idade,
para evitarem a incorporação ao exército do czar, na guerra de 1914 e vendo-se, desde então,
obrigados a manter a fraude.

Conclui-se, então, que nessa parte do mundo os homens não são tão velhos como pretendem...

Um ótimo final de semana a todos os leitpores amigos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande&Limpe