sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

32 - OS ACIDENTES DE VEÍCULO - Estrada do Coco III -

.

Somente apos constatar a inutilidade momentânea da mão direita é que destravei o cinto,
usando a mão esquerda. Ao tentar abrir a porta do meu lado  descobri,
atônito, que ela não se abriria jamais, pois havia " sanfonado " de tal modo que somente
serrada seria removida. Imediatamente, com a urgência que me permitiam as restrições de
mobilidade causadas pelas fraturas na perna direita, a altura do joelho e em algumas  costelas, consegui esgueirar-me pela porta do passageiro. Verifiquei horrorizado ao sair, que o motorista do
outro carro clamava desesperado por socorro, pois estava sendo queimado vivo!... Nada
podia fazer em seu favor, não apenas pelas dificuldades de locomoção mas, e principalmente,
pela brutal temperatura causada pelo fogo que a cada minuto se agravava mais. Aliás,
embora estivesse sozinho no local, pois não havia sequer tráfego naquele momento e o
lugar era completamente deserto de moradores, nada seria possível fazer pelo desditoso
motorista, pois aproximar-se do veículo era totalmente impossível. Alguns minutos depois
passou pelo local um carro cujos ocupantes sequer pararam. A principio fiquei chocado com
a aparente falta de solidariedade; passados alguns poucos minutos, porém, entendi a atitude
prática e objetiva daquele motorista: naturalmente, vendo ao passar, que nada poderia fazer,
apressou-se em procurar socorro mais eficiente e especializada com uma equipe dos "Anjos
do Asfalto", cuja base se localizava na entrada para a foz do rio Jacuípe. Em pouco mais de
15 minutos após a passagem daquele carro, eis que chega a equipe de profissionais
acompanhada pelo veículo do meu querido e dileto amigo Agnaldo, proprietário da
Panificadora Monte Gordo. Fora ele o motorista do veículo que não parou para simplesmente
ver a desgraça alheia. Disse-me depois que reconheceu-me ao passar - embora estivesse desfigurado
pela presença de sangue em minha face - e tratou de procurar o socorro adequado. Que felicidade
 poder contar com um amigo desse quilate nessas horas!...

Continua na próxima postagem...

Bom final de semana e um feliz 2017 a todos.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

31 - OS ACIDENTES DE VEÍCULO - Estrada do Coco - II -

.

Embora planejando voltar o mais breve possível para Guarajuba - a pescaria me esperava -,
não sei por qual motivo, naquele dia, resolvi que não iria passar dos 80 km/h., na viagem até
Salvador. Isto, paradoxalmente, acabou contribuindo de maneira decisiva para a ocorrência
do acidente... É que, ao passar pela ponte sobre o rio Jacuípe - cerca de 500m após - ainda
mantendo a velocidade que decidira imprimir, fui surpreendido pela visão aterrorizante de
um carro vermelho vindo, desgovernado e em altíssima velocidade, na minha direção!
Embora, por mero ato reflexo, tenha freado e desviado para o acostamento, o veículo
veio na minha direção, batendo com seu lado esquerdo ( o lado do carona ), na parte dianteira
do meu carro ( uma Ipanema Chevrolet prata, novamente ), encaixando de tal modo no
meu veículo, que se transformou em um "C "! Imediatamente começou um violento
incêndio que, muito em breve (a mim parecia), iria se transferir para o meu carro.
Imediatamente tentei sair daquele principio de inferno, mas não conseguia nem desafivelar
o cinto de segurança! Depois de várias tentativas com a mão direita, resolvi olhar para
saber a razão do não destravamento do cinto. Só então verifiquei que minha mão estava
totalmente quebrada em diversos lugares!... É que, na ocorrência de um choque traumático
como aquele, não sentimos dor alguma e as lesões são totalmente ignoradas, sobrepondo-se
a qualquer dor, o instinto de conservação  que nos impele a correr para nos afastar ao máximo
 da cena do acidente, principalmente para fugir do fogo...

Continua na próxima postagem...

Um excelente final de semana e um feliz Natal a todos os meus amigos e visitantes.
Grande abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

30 - OS ACIDENTES DE VEÍCULO - Estrada do Coco - I -

.

Em que pese a grande afinidade e admiração que tenho pela cidade de Juazeiro, admiração
que se estente até sua irmã pernambucana Petrolina, ambas ligadas umbilicalmente pela
majestosa ponte Presidente Dutra que transpõe as águas tranquilas do "Velho Chico", os
dois acidentes de veículo mais graves que sofri, estão ligados a atividades por mim
desenvolvidas naquela região. Já descritas anteriormente, as circunstâncias em que se deu
o acidente na estrada da Cetrel, aconteceu num dos meus retornos daquela cidade onde
houvera cumprido plantão durante 5 dias. Ao contrário do primeiro acidente, desta vez o
ocorrido se materializou durante os preparativos que fazia visando uma nova viagem para
aquela localidade. Na antevespera da minha ida, deveria ir à Salvador para obter as
informações relativas ao trabalho que seria desenvolvido no próximo plantão, bem como
proceder a aquisição das passagens de ida e volta em ônibus leito, passagens estas fornecidas
pelo empregador. Minha intenção, ao sair de casa em Guarajuba, por volta das 6.30 hs
daquela manhã, era não somente evitar os congestionamentos de trânsito, costumeiros e
cotidianos, nas avenidas ParalelaOtávio Mangabeira, como também poder voltar o mais
cedo possível, pois havia marcado uma pescaria na minha lancha, para aquele mesmo dia,
com meus amigos e pescadores Juracy e "Fartura", com os quais ainda hoje pesco em alto
mar. É que, a pescaria, é a terceira melhor coisa da vida  - pra mim, evidentemente!- ...


Continua na próxima postagem.......

Um ótimo final de semana a todos os amigos e visitantes.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

29 - OS ACIDENTES DE VEÍCULO - final -

.

Quando o Joel chegou ao local - cerca de 20 minutos depois - já me encontrou totalmente
refeito do choque. Providências foram tomadas, principalmente quanto à remoção da sucata  em que se transformara a Ipanema, vendida, logo depois, a um proprietário de ferro-velho. que veio
imediatamente e levou o veículo do local do acidente. Havia também a necessidade de liberar
o amigo Joel - a quem, ainda hoje, volto a agradecer públicamente, pela presteza do
atendimento - que tinha muita necessidade de continuar seus afazeres à frente de seu
estabelecimento comercial. Destaco ainda que o Joel, ao chegar ao local, não
me viu imediatamente. Em vez disso, o que ele vizualizou foi o vermelho intenso, representado
pelas melancias totalmente destroçadas, fazendo-o crer que aquele vermelho, esparramado
sobre uma area consideravel da pista ao redor do carro, seria sangue proveniente do seu
amigo, certamente morto àquela altura dos acontecimentos, vítima de uma enorme e incontrolável
hemorragia! Começou a se lamentar, falando alto, ate que me viu sair do carro, o que provocou
nele uma euforia e um alivio mal disfarçados e, em mim, um sorriso de alegria e de
agradecimento pela preocupação demonstrada. O episódio seria cômico se não fosse trágico...
Levaram-me para o Hospital Geral de Camacari ( por ser o mais próximo
do local ), de onde depois de radiografias da cervical, nos dirigimos ao COT Canela para uma
mais minuciosa e completa bateria de exames. Mais uma vez, nada de grave foi constatado.
Superei, assim, mais um acidente gravíssimo, conforme se depreende pelas fotos que ilustram
todas as etapas desta narrativa.



Um excelente final de semana a todos e até a próxima.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

28 - OS ACIDENTES DE VEÍCULO - III -

.

Além de todos os problemas axistentes na Estrada da Cetrel naquela ocasião - não sei qual
a situação atual, pois não passo por ela há muito tempo - havia inúmeros e grandes buracos
ao longo de toda a sua extensão, o que obrigava os motoristas a dirigir com a máxima atenção
e cuidado mesmo assim, exigindo aqui e ali, uma freada brusca, para não danificar muito a
suspensão do veículo. Na primeira curva fechada, existente logo após o Atêrro Sanitário,
vindo à velocidade reduzida - por volta de 40 km/h - deparei com uma poça de água que,
certamente, ocultava um buraco quem sabe de que dimensões. Instintivamente acionei o pedal
de freio, na intençao de diminuir, ainda mais, a velocidade. Esta minha ação deve ter assustado
o condutor de um caminhão de lixo que vinha imediatamente atrás de mim e que, certamente,
por ser bem mais pesado, não conseguiu diminuir a velocidade a tempo, atingindo a traseira
do meu carro, violentamente. O impacto provocou diversos problemas tanto no carro quanto
em mim mesmo. Com a batida na traseira, minha cabeça fez um brusco e intenso movimento
de vai e vem, ocasionando um tauma na coluna cervical, felizmente absorvido pelo meu
corpo, não deixando sequela alguma após, mais ou menos, uma semana de dor. Saltei do
carro, imediatamente, dirigindo-me ao motorista do caminhão, reclamando, com veemência,
da falta de guarda da distância que ele teria de manter do meu carro, conforme normas de trânsito.
Em seguida, liguei para minha mulher que se encontrava em casa, aqui em Guarajuba,
pedindo a ela que, em vez de ir ela mesma ao meu encontro, entrasse
em contato com nosso vizinho e amigo Joel, dono do Restaurante Prapapá, que se
deslocou, imediatamente até o local onde me encontrava...

Continua na próxima postagem...

Um bom final de semana  a todos e obrigado pelas visitas.

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe