sexta-feira, 22 de julho de 2016

8 - DESASTRE AEREO. - segundo acidente - I -



Adoro voar! Meu primeiro vôo se deu a bordo de um " Catalina " da Panair ( o famoso "Pata Choca" ),
lá pelo final da década de 1950, numa das viagens que fiz, Belém/Oriximiná, para gozar as férias
de fim de ano. Esta viagem, que geralmente era feita de navio ( ah! que saudade do "Barão de
Cametá " e do  "Aquidaban"! ), desta vez me foi proporcionada pela companhia do meu pai, que fora
à Belém resolver alguns negócios. Ele decidiu que deveria me levar junto, na volta pra casa .
Lembro-me perfeitamente das cadeiras de " palhinha " que equipavam o avião, pois me veio
imediatamente à memória, as cadeiras de balanço lá de casa, feitas tambem com esse mesmo
material, uma das quais esmagou, sob o peso da mamãe, a cobra coral, episodio relatado em
postagem anterior.  Costumo dizer aos meus amigos, que " avião não cai; é derrubado!!! "
Nunca tive medo de voar. Ao contrário: sinto imenso prazer ao fazê-lo! Considero este meio de
transporte, de longe, o mais seguro. As estatísticas  mostram que nos EE.UU., por exemplo, onde
o profissionalismo é levado a sério, há por volta de 1 acidente para cada 3.000.000 de vôos! No
Brasil este índice sobe dramaticamente para mais ou menos 5 acidentes por cada 3.000.000 de vôos.
Ainda assim, é muito pouco. Não fossem as falhas humanas ( incluindo aí a manutenção negligenciada
ou postergada, os controladores e pilotos irresponsáveis, etc. ), teriamos um indice quase nulo de
acidentes. Nenhum avião é construido para desabar das alturas. Mesmo se houver a falha de todas
as forças propulsoras, ainda assim - a depender do fator humano - o equipamento pode,
tranquilamente, manter-se no ar, planando, a espera de ser conduzido a algum lugar mais ou
menos propício para o pouso. Isto aconteceu comigo lá pela segunda metade da década de 1970!...

Continua na próxima postagem.......

Um ótimo final de semana a todos os meus amigos e visitantes.
Abraço,

Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

Nenhum comentário: