sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

VIVER É UM PRIVILÉGIO!



Há momentos na vida que se afiguram, definitivamente, irremediáveis.
Parecem nos levar a um lugar sem saída. Fazem-nos imaginar que a
única escapatória possível, seria a consumação de um ato tresloucado e
trágico que, de resto, poria fim a todos os sentimentos contraditórios, em
tais ocasiões tidos como um sofrimento insuportável. Inúmeras, porém,
são as histórias que provam que sempre haverá uma saída. Antes de contar
uma delas, permitam-me fazer algumas reflexões que enfatizam o quanto
somos privilegiados em estar aqui vivos. Pensem no seguinte: já passaram
por este mundo, desde o inicio da existência da humanidade, bilhões e bilhões
de seres humanos. Pois bem, dentre esses bilhões de individuos, os únicos
capazes de gerar cada um de nós, seriam exatamente nosso pai e nossa mãe!
Dito assim, parece que estou fazendo uma declaração "óbvia ululante" (para
citar o grande Nelson Rodrigues). Duvido, porém, que o amigo ja tenha parado
para pensar quão intrincadas e encantadoras foram as coincidências que
aconteceram e fizeram com que nascessemos. Cada momento das nossas vidas
deve ser visto como uma dádiva da natureza. Assim é que, levando em
consideração apenas o casal que nos gerou, temos que atentar para as seguintes
questões:
-Foi necessário que os dois nascessem em época contemporânea;
-Que se encontrassem e se descobrissem neste mundo entre bilhões de pessoas;
-Que se amassem e resolvessem ter filhos;
-Que, entre as centenas de óvulos da mãe, amadurecesse naquele período,
AQUELE óvulo;
- Que, entre os milhões de espermatozóides produzidos pelo pai, aquele ÚNICO
fosse o fecundador DESSE óvulo.
Poderia enumerar, ainda, incontáveis condições para você existir agora. Pois bem,
como podemos conceber que alguem venha a cometer suicidio!? Pense bem a esse
respeito e veja, a seguir, como se deve proceder ante uma situação catastrófica:
"Primeira guerra mundial. Um soldado australiano se encontrava em um
hospital londrino, ferido que fora em uma batalha sangrenta. Um belo dia, recebeu
da noiva que deixara na Austrália e por quem nutria um amor imenso, uma carta
que, secamente, dizia:- George, favor devolver a foto que te dei em nossa
despedida. É que me apaixonei por um militar americano que conheci recentemente
e por isso estou rompendo o nosso noivado. Sinto muito mas te peço que
me esqueças!
-Golpe terrível para quem, alem de apaixonado, se encontrava muito ferido e
em terra estranha longe de parentes e amigos. Mas, ao invés de se desesperar,
pediu uma foto de cada uma das cinco enfermeiras que trabalhavam no hospital
- das quais se tornara conhecido - colocou-as em um envelope junto com a foto
da, agora, ex-noiva e, em um bilhetinho que anexou, dizia: - Como ja não me lembro
direito qual dessas fotos é a tua, peço que a retires e devolvas as outras que me
são muito caras. Eu não sinto muito e, como ves, ja havia te esquecido.
Obrigado,
George".-

Grande abraço,
Clóvis de Guarajuba
ONG Ande e Limpe

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A FLAUTA MÁGICA.


Era um caçador famoso. Um dia, resolveu contratar os serviços de um feiticeiro,
tambem renomado, para mostrar-lhe alguma mágica que facilitasse suas caçadas.
Passados alguns dias, o feiticeiro entregou-lhe uma flauta que, ao ser tocada,
enfeitiçava os animais fazendo-os dançar. Entusiasmado com o invento, tratou de
organizar uma caravana convidando dois amigos, tambem caçadores, para irem
à África. Ao lá chegarem, trataram logo de partir para a primeira caçada. Logo o grupo
se deparou com um imenso rinoceronte que, furioso, partiu para cima dos tres.
O caçador, com toda a calma, tratou de tocar a flauta e, como esperado, o animal parou

e começou a dançar. Foi muito fácil abatê-lo com um tiro na cabeça. Horas depois, novo
sobressalto: a caravana foi atacada por um leopardo que saltara de uma árvore.
Ao som da flauta, porém, o animal de agressivo transformou-se em um dócil gatinho
a bailar. Foi impiedosamente abatido. E assim continuou: animais ferozes atacando,
flauta tocada, animais abatidos. Um sucesso! Já ao final do dia, o grupo encontrou
um enorme e faminto leão. A flauta soou mas o leão não dançou... Ao contrário,
atacou um dos amigos do caçador flautista, devorando-o. Embora o caçador
continuasse a tocar a flauta, o leão avançou e devorou o outro amigo do caçador!
Desesperado, o caçador flautista fazia soar cada vez mais alto a flauta, porem sem
resultado algum. O leão não dançava. E, enquanto tocava e tocava freneticamente,
o caçador foi devorado também! Dois macacos que . a tudo assistiam, empoleirados em
uma árvore, comentaram entre sí:
.
- Eu sabia que eles iam se dar mal quando encontrassem um animal surdo!....
Moral da estória:.
NÃO CONFIE CEGAMENTE NOS MÉTODOS QUE SEMPRE DERAM CERTO!.
.
A todos um final de semana excelente
Até a próxima sexta-feira.
.
Clóvis de GuarajubaONG Ande & Limpe

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

O " ENFEITE " ROSA...


Elegante, o homem de meia idade sentou-se à mesa de um café. Ao entrar pode
perceber que um grupo de jovens, sentados à mesa ao lado, estava rindo dele.
Sabendo que o motivo do riso era uma pequena faixa rosa que ostentava na lapela
do seu elegante terno, levantou, foi até o grupo de rapazes e perguntou, apontando
para a faixa:
.- É isto que os faz rir?
.
Todos gargalharam e um deles disse, irônicamente:
.
- Desculpa, cara. Estavamos apenas comentando como cai bem este enfeite rosa no
seu terno azul... O homem, então, convidou-o a sentar com ele. Constrangido, o
rapaz aceitou. Com toda a calma e educação, o homem passou a explicar o significado
daquele "enfeite". Usava a faixa rosa para alertar as pessoas sobre o câncer de mama
e concluiu:
.
- Uso isto em honra da minha mãe!
.
- Oh! lamento muito. Ela morreu de câncer de mama?
.- Não, ela está viva e passa muito bem, obrigado. É que seus seios alimentaram-me
na infância, confortaram-me quando estava assustado ou solitário. Sou muito grato
pelos seios da minha mãe e por sua saúde!
.
-Hummm... fez o rapaz.
.
-E uso esta faixa, tambem, em honra da minha mulher.
.- E ela, está OK?
.- Sim, ela está ótima. Seus seios têm sido uma fonte de amor e prazer pra nós dois e,
com eles, ela nutriu e alimentou nossa única filha de 23 anos. Sou agradecido pelos
seus seios e por sua saúde, tambem.
.
- Suponho que use isso em honra de sua filha, tambem...
.
- Não. É muito tarde para honrar minha filha. Ela morreu há um mes de câncer de
mama. Pensou que, por ser muito jovem, não teria essa doença. Por isso ignorou o
pequeno nódulo indolor que, acidentalmente, detetou em um dos seios...
.
Chocado, o rapaz disse:
.
-Oh! cara... lamento muito.
.
Sem parecer te-lo escutado, o homem prosseguiu:
.
- ... então, em memória da minha filha, tenho oportunidade de esclarecer e alertar
as pessoas. Agora vá! Converse com sua esposa ou namorada, sua mãe, sua filha, suas
amigas.
.
E, dizendo isso, o homem deu ao rapaz uma faixa para que ele tambem a usasse. O
rapaz ergueu a cabeça, vagarosamente e pediu:
.
- O senhor me ajuda a coloca-la?
.
.
Esta semana se promove o dia mundial da conscientização das pessoas
sobre o câncer de mama. Se voce é mulher, faça auto exame regularmente
e, se tem mais de 40 anos, faça mamografia anualmente. Se voce é homem,
encoraje as mulheres que voce ama a fazerem o mesmo.
VOCE PODERÁ SALVAR SUAS VIDAS!!!
.
.

Um final de semana de paz aos meus amigos e visitantes.
Abraço,
.
Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

A RAPOSA DO LENHADOR

.

.O lenhador trabalhava duro. Levantava a cada dia às 6 da manhã e passava
o dia intero cortando lenha. Ele tinha um filho de poucos meses e uma raposa,
tratada como bicho de estimação e de sua total confiança. Ao sair pra trabalhar
deixava a raposa tomando conta da casa e do seu filho. Todas as noites, ao
retornar, lá vinha a raposa recebe-lo feliz, abanando o rabo. Os vizinhos viviam
alertando que, apesar de amiga, a raposa era um animal selvagem e não hesitaria
em comer o menino se um dia a fome apertasse. O lenhador sempre indignado,
dizia que isso era um absurdo. A raposa era sua amiga e isso jamais aconteceria.
.
Os vizinhos insistiam:
.
- Vizinho, abra o olho! A raposa vai comer seu filho...
.
Um dia, ao chegar em casa exausto e cansado dos comentários, encontrou a
raposa muito contente, como sempre, só que desta vez, havia sangue escorrendo
de sua boca... O lenhador teve um tremendo choque e, levado pelo impulso,
desferiu com o machado um golpe na cabeça da raposa, matando-a instantaneamente.
Mas ao correr para o quarto do filho, encontrou o menino dormindo tranquilamente
e, ao lado do berço, uma enorme sucuri despedaçada. Chocado o lenhador enterrou
a raposa e o machado juntos.
.
CONCLUSÃO:
Nunca de muita importância para o que os outros acham e, 

principalmente, nunca tome decisões por impulso..
Até a próxima e FELIZ ANO DE 2016.
Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

EM SUAVES PRESTAÇÕES... ( reflexão ).

.
.



Morre lentamente quem não muda de ideia, não troca o discurso e não aceita as
próprias contradições.
.
Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo sempre o mesmo
trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca
de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo pra quem não conhece.
.
Morre lentamente quem tem como guru a TV ou a Internet.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere sempre o " preto no
branco " e os " pingos nos is ", a um turbilhão de emoções, aquelas que resgatam o
brilho nos olhos, o sorriso, o soluço, o coração aos tropeços, os sentimentos, enfim.
.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem
nunca arrisca o certo pelo incerto atras de um sonho, quem não se permite, pelo
menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos. Morre lentamente que não
viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.
Morre lentamente quem destroi seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.
.
Morre lentamente quem passa os dias se queixando da má sorte ou da chuva
incessante; quem desiste de um projeto antes mesmo de iniciá-lo; quem não
pergunta as coisas que desconhece; quem não responde quando lhe indagam o que sabe.
.
Pra que morrer em suaves prestações?!
.
Lembre-se sempre, que viver exige um esforço bem maior do que simplesmente
respirar!!!
.
.
A todos um excelente ano de 2016.
Abraço,
.
Clóvis de Guarajuba
ONG Ande & Limpe