sexta-feira, 25 de setembro de 2015

- A LIÇÃO QUE VEM DE BAIXO...

                                                           
                                                       - foto Internet -

Era outono. Sentado em um banco de jardim, fiquei observando algumas folhas que caíam das árvores, derrubadas pelo passar do vento. Tudo na natureza tem chegadas e partidas, idas e vindas, nascimento e morte. As folhas, quando verdes, apegam-se aos seus galhos resistindo, obstinadas, às tempestades. Mal começam a amarelar, porém, perdem, naturalmente, a resistência e, sem nenhuma lamentação, deixam-se levar pela inexorável roda da vida. Algumas são levadas precocemente pela mão que poda. para revigorar a vida. Mortas, embora, não perdem a utilidade. Transformam-se em adubo para as outras plantas. De repente, tenho minha atenção despertada por uma fila de formigas que passam diante de mim. Passo a observá-las atentamente e fico maravilhado com o trabalho que desenvolvem em prol da comunidade. Em busca de suprimentos para armazenar antes do inverno que se aproxima, trabalham arduamente, somando para depois dividir, respeitando a lei da sobrevivência. Levam para o mesmo destino pequenas cargas de folhas compatíveis com suas possibilidades. Noto, porém, que uma delas tem um enorme fardo, bem maior do que pode carregar; anda um pouco mas logo para, talvez juntando forças para prosseguir. De repente, uma de suas companheiras ainda sem carga nas costas, parece perceber o enorme esforço, deixa a fila e, apressando o passo, vem socorrer sua extenuada semelhante. Onde será que ela aprendeu a ser solidária? Seria instinto puro e simples? Jamais saberemos. E ela coloca-se ao lado da companheira e, juntas, dividem o peso caminhando lado a lado no mesmo passo. Vendo esta cena penso comigo mesmo no quanto ainda tenho de aprender e crescer, embora já em idade avançada. E sinto-me menor do que esses pequenos insetos sem inteligência, sem coração e sem emoção. E lá se foram as duas com seu fardo até  desaparecerem ao entrar no ninho, local do armazenamento. Contemplo o restante da fila que prossegue em seu trabalho e me pergunto: quem somos nós, os humanos? Tantos filósofos, tantas religiões, tantos gurus, tantos mestres e ainda não sabemos dividir os fardos de nossas vidas com amigos, vizinhos, conhecidos ou qualquer um dos nossos semelhantes. Muitas vezes nem com aqueles que vivem sob o nosso teto ou que nos dão " bom dia " sempre que nos encontram.
Encontrei solidariedade, sabedoria, lição de vida e harmonia em um pequeno e singelo jardim. Levantei, olhei para o sol radiante e refleti agradecido: Folhas mortas, formigas...
Abaixo dos nossos pés se esconde uma grande sabedoria.
Jamais se ouviu o lamento das folhas que caem quando chega seu fim!
Jamais se ouviu o lamento de uma formiga que trabalha horas a fio, desviando em sua trajetória de diversos obstáculos.
Aprendi que antes de me lamentar pelos percalços da vida, devo, a partir de hoje, olhar para o chão...


sexta-feira, 18 de setembro de 2015

- O BARBEIRO COM RESPONSABILIDADE SOCIAL.




                                                             - foto Internet -
                                                 

Cidadão cumpridor de seus deveres, aquele barbeiro não se contentou com este fato, embora já exercitasse sua cidadania, cumprindo com esmero e dedicação suas funções.
Naquele dia resolveu trabalhar de graça, dando  com isto sua contribuição para o bem estar da comunidade do seu bairro. O primeiro cliente que chegou para cortar o cabelo - um vendedor de flores - ao final do atendimento perguntou quanto teria que pagar.
- Não posso aceitar seu pagamento, porque hoje estou prestando serviço comunitário...respondeu.
O florista, depois de agradecer, foi embora muito feliz.
No dia seguinte, encontrou em frente à porta, um buquê com uma duzia de rosas e um cartão de agradecimento, enviados pelo florista.
Pouco depois chegou um padeiro para cortar os cabelos. Após terminar, perguntou quanto era e recebeu a mesma resposta:
- Não posso receber o pagamento. Hoje estou prestando serviços comunitários.
O padeiro dicou muito contente e foi embora; no dia seguinte, ao chegar para o trabalho, o barbeiro encontrou uma cesta de pães variados, com uma nota de agradecimento do padeiro.
Depois de atender muitos clientes ao longo do dia, pouco antes de fechar a barbearia, eis que chega um deputado para cortar o cabelo. Novamente, ao pedir a conta no final, recebeu a mesma resposta dada a todos:
- Não posso receber seu dinheiro porque hoje estou prestando serviço comunitário...
O deputado ficou muito feliz e foi embora esfregando as mãos.
No dia seguinte, ao chegar para abrir a barbearia, havia uma fila de deputados esperando pra cortar o cabelo.
Foi aí que o barbeiro, depois de explicar que o serviço comunitário, por motivos óbvios, foi prestado apenas no dia anterior, recordou aquela famosa frase do Eça de Queiroz:

" OS POLÍTICOS E AS FRALDAS DEVEM SER TROCADOS FREQUENTEMENTE E PELA MESMA RAZÃO..."

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

- O EXEMPLO NATURAL.



                                                                          - Carvalho e Eucalipto -
                                                                                     Internet

Você certamente já ouviu a expressão " jogo de cintura "; pois bem, há nas nossas vidas, a todo momento, ocasiões em que esta postura é exigida, sob pena de transformarmos em risco vital, episódios a primeira vista, graves, mas que acabam por perder o significado pouco depois
Podemos pinçar da própria natureza exemplos significativos que certamente nos ajudarão a suportar com altivez, todos os percalços que aparecem ao longo da vida.
Escrevo este artigo, pensando nas palavras postadas em uma página social por uma querida sobrinha, nas quais ela demonstra estar atravessando uma situação adversa. Pra ela, em especial, vou apresentar a seguir, um veemente exemplo de como proceder para suportar qualquer tormenta:
O eucalipto e o carvalho são duas árvores muito bonitas e até semelhantes no visual; no entanto, em suas essências, guardam uma diferença cósmica, quando precisam enfrentar uma tempestade. O carvalho, por ser tão duro, resiste às tempestades sem ter nenhuma maneabilidade. Assim, de tanto oferecer resistência, acaba por se quebrar e muitas vezes, ao passar a borrasca, jaz lascado e abatido no chão. A morte, muitas vezes, é seu destino final.
 O eucalipto, no entanto, sabiamente se curva diante da tempestade, porque é maleável, flexível e prefere dizer não ao enfrentamento e, passada a tormenta, retoma com altivez seu ciclo vital, naturalmente intacto.
Tal qual o carvalho, sairemos seriamente machucados se nos endurecermos frente aos problemas que a vida nos oferece. Aceitar e ter flexibilidade, é a melhor maneira de enfrentar e absorver as experiências desagradáveis com que certamente nos encontraremos.
Sejamos inteligentes e aprendamos cada uma das lições apresentadas nesta vida porque, cada uma delas, poder-nos-á ser útil lá mais à frente!

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

- TEMPO PERDIDO? Que tempo???



                                                                    Imagem da Internet

Por que nos cobramos tanto!? Fez o que era possível fazer naquela ocasião e não deu certo? E daí!? O possível, às vezes, é quase nada. Então não se culpe e não perca a paciência; apenas espere.
Faça como o agricultor que se transforma em meteorologista antes de semear. Olha para o tempo e, se achar que não vei chover, não semeia. Se a chuva veio,apesar de sua previsão, ele apenas aguarda a próxima oportunidade. Mas tem a mais clara consciência de que, se a chuva não vier, perderá toda a semente, o dinheiro e o trabalho e, se a chuva vier em demasia, perderá tudo, igualmente, pois o excesso de chuva pode arrancar do solo as sementes.
Não pense  que o tempo de espera é inútil: se aquele emprego que você esperava não veio, quem sabe se não virá outro melhor depois?
O relacionamento acabou? É porque não era esse o seu verdadeiro amor!
E o concurso que você fez, não passou? Talvez seja porque você não seria feliz nesse trabalho.
Perdeu o avião? nada de estresse: será que você não se livrou de terríveis turbulências que obrigariam você a chegar atrasado ao destino ou talvez nem chegar?...
Por que ficar preocupado com a próxima segunda-feira se estamos na quinta e sequer temos certeza que chegaremos lá, na segunda?
Ligue-se no hoje.
Lembre-se que o tempo não existe. Ele é apenas uma convenção que o homem criou pra medir sua fragilidade e insignificância. O Universo não tem nada a ver com o nosso tempo. O Universo é eterno. Lembra do Lavoisier?: ...nada se perde, tudo se transforma.
O Universo não caminha com o relógio; pra ele o tempo não existe.
Então entenda que só o AGORA interessa!
Viva este momento. Só ele é o seu tempo; o resto é aventura, é sonho ou pesadelo, depende das suas emoções.
Sempre que tiver uma chance, faça o bem, cultive a paz e a harmonia.
O melhor dia da sua vida é o hoje. Divirta-se!!!